-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em História e Literatura
 
Pedro Agostinho

[ Pedro Agostinho ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Mestre em História do Brasil. Sócio da Associação Brasileira de Educação a Distância e participa de fóruns sobre educação e Plano estratégico de defesa brasileira.

 

As teorias e seus reveses

Emilia Ferreiro nasceu na Argentina em 1936. Doutorou-se na Universidade de Genebra, sob orientação do biólogo Jean Piaget, cujo trabalho de epistemologia genética (uma teoria do conhecimento centrada no desenvolvimento natural da criança) ela continuou, estudando um campo que o mestre não havia explorado: a escrita. A partir de 1974, Emilia desenvolveu na Universidade de Buenos Aires uma série de experimentos com crianças que deu origem às conclusões apresentadas em Psicogênese da Língua Escrita (grifo nosso), assinado em parceria com a pedagoga espanhola Ana Teberosky e publicado em 1979. Emilia é hoje professora titular do Centro de Investigação e Estudos Avançados do Instituto Politécnico Nacional, da Cidade do México, onde mora.

Emilia Ferreiro se tornou uma espécie de referência para o ensino brasileiro e seu nome passou a ser ligado ao construtivismo , campo de estudo inaugurado pelas descobertas a que chegou o biólogo suíço Jean Piaget (1896-1980) na investigação dos processos de aquisição e elaboração de conhecimento pela criança considerando os recursos que levam as crianças assimilar conhecimento.

Os estudos da autora que estudou em parceria com Piaget consideram os valores cognitivos relacionados à leitura e à escrita. Um ponto merece nosso olhar que é a maneira equivocada em considerar o construtivismo um método.

Tanto as descobertas de Piaget como as de Emilia levam à conclusão de que as crianças têm um papel ativo no aprendizado. Elas constroem o próprio conhecimento – daí a palavra construtivismo.

As discussões acerca do tema esbarram na transferência de responsabilidades. A maioria dos críticos do construtivismo defende a teoria de que a escola transfere a responsabilidade que é dela, de ensinar, para um novo sujeito que é o aluno. Nessa perspectiva a autora aciona uma nova concepção pedagógica em que o aluno parte de seus conhecimentos assimilados no decorrer de sua vida estudantil e/ou pré-requisitos construindo uma nova etapa de seu processo ensino-aprendizagem.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Ariano e sua eterna luta contra moinhos que não são de ventos. ( História e Literatura - José Flôr )

:: História das mentalidades: O Esperanto. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Coração da Mata ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: O redescobrimento do Heliocentrismo e da esfericidade da Terra. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Considerações literárias: diários, semanários e mensários...qual é a melhor escolha? ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Quinze de novembro de 1889 – O golpe da República e a interrupção do processo civilizatório. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A arte de viver só ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A desesperança em Wander Piroli ( História e Literatura - Lecy Pereira )

:: O mito da palavra Saudade ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A Cultura do hedonismo e o Vale+ Cultura ( História e Literatura - Mauro Moura )

:: Profissionais da História ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A riqueza dos hipônimos e dos hiperônimos ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A Fábrica de Robôs ( História e Literatura - Lecy Pereira )

:: Da Família Imperial aos funcionários públicos: a destruição das imagens na História. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A simbologia da Páscoa ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: As línguas indígenas amazônicas: salvá-las ou deixá-las morrer? ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Mitologia e História: E os heróis míticos. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Pequeno Inventário das Línguas Africanas ( História e Literatura - Antonio Carlos )

:: As palavras comandam a vida ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Rumo ao Colaborativo ( História e Literatura - Lecy Pereira )
 
 

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo