-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Informática
 
Isis Nogueira

[ Isis Nogueira ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Estudante de Jornalismo. Convicta de que não pode faltar a um jornalista um inglês fluente e um conhecimento firme do Direito.

 

A Comunicação Social e Nós como Profissionais Diante deste Fenômeno.

A necessidade de sobrevivência levou ao surgimento da comunicação e por ser um evento observável quer pelos sentidos ou pela consciência, tornou-se um fenômeno. O homem então passou a expressar seu pensamento que com o passar do tempo tornou-se objeto de pesquisas dos profissionais da área.

Neste cenário, aparecem os comunicólogos transmitindo uma visão critica sobre os fenômenos comunicacionais e observando como ela se relaciona com o receptor, levando (na teoria) transformação, melhoria de vida e integração social. Para alcançar este objetivo, como futura jornalista, pretendo usar um discurso polêmico (com argumentos que podem e devem ser contestados), o lúdico (mensagem democrática) e o autoritário (dotado de persuasão) e é claro, todos eles de forma híbrida de uma maneira que  a reação do leitor seja notória de maneira a induzi-lo a selecionar antes de absorver as informações consideradas úteis para si e para sua família.

A sociedade precisa aprimorar o exercício do questionar, não só as informações como elas são passadas, mas também sua postura frente a elas.Seja qual for o meio, blogs, TV, rádio, jornal... O importante é que o receptor da mensagem saia do senso comum ( o hábito de aceitar as coisas de um modo geral, sem investigá-las).

A maioria dos receptores não sabem distinguir as versões dos fatos, transformando a comunicação em confusão.

Por isso, O jornalista é responsável por toda a informação que divulga, desde que seu trabalho não tenha sido alterado por terceiros, caso em que a responsabilidade pela alteração será de seu autor.

Para não agravar esta situação (a manipulação da informação) é que a nossa Constituição veta expressamente o monopólio (direta ou indiretamente) dos meios de informação, para que a sociedade tenha a oportunidade de buscar diversas opiniões e tirar suas próprias conclusões. Pois o que obtemos mediante os meios de comunicação de massa não é uma comunicação propriamente dita, pois esta é via de dois sentidos (ouvir e ser ouvido) e, por tanto, tais meios são denominados veículos de massa.

Um jornalista, antes de querer formar o pensamento dos seus leitores, deve antes de qualquer coisa mudar a si mesmo (perguntar-se sobre o que comunicar). A comunicação teoricamente é de todos (já que existe e-mail, Twitter, Youtube, blogs, redes sociais, torpedos, celulares onde não precisa de um conhecimento técnico para levar notícias ao público) mas nem todos tem o jornalismo que merece, já que as informações que recebemos não mudam nossa realidade e é justamente esse o papel da notícia: transformação.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Estado de graça ( Informática - Lecy Pereira )

:: Expansão das lojas virtuais ( Informática - Isis Nogueira )

:: Internet dependência ( Informática - Jorge Hessen )

:: Arrogância internética ( Informática - Patrícia Cozer )

:: A Internet e a fábrica de apedeutas ( Informática - Luiz Phelipe )

:: Corrente do bem ( Informática - Pedro Cardoso )

:: A praga das redes sociais - parte III ( Informática - Patrícia Cozer )

:: Quando não tínhamos mídias sociais ( Informática - Ana Paula Lisboa )

:: Orkut ou Facebook? Por trás dos mitos ( Informática - Diego Grossi )

:: A praga das redes sociais - parte II ( Informática - Patrícia Cozer )

:: A praga das redes sociais ( Informática - Patrícia Cozer )

:: Lições do FISL 2011 ( Informática - Klaibson Ribeiro )

:: Lançado Linux Fedora 15 ( Informática - Klaibson Ribeiro )

:: Redes sociais e cia ( Informática - Sivaldo Venerando )

:: LibreOffice Para Leigos ( Informática - Klaibson Ribeiro )

:: Advicemee, a rede social criada por alunos da UnB ( Informática - Ana Paula Lisboa )

:: O declínio do Orkut ( Informática - Jéssica Cavalcante )

:: A internet como fenômeno de globalização e de solidão ( Informática - Luisa Lessa )

:: Em qu@l mundo você vive? ( Informática - Rocheli Camargo )

:: Mil e uma utilidades da internet ( Informática - Pedro Cardoso )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo