-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Jovens
 
Ivan Postigo

[ Ivan Postigo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Economista, contador, pós-graduado em controladoria pela USP.

 

Mentoring e a formação da próxima geração

Alguns conceitos ganham relevância, sem que sejam devidamente compreendidos. Mentoring é um desses.

Tratando dessa questão, Scott Snair, Professor universitário, consultor, palestrante, coloca a seguinte questão: “Por que a noção de mentoring caiu em desuso? Será que alguém ainda sabe o que é um mentor?”

Que papel deverá exercer o mentor e qual sua responsabilidade, qual é o papel do orientando e qual deve ser seu comprometimento?

Como escolher o mentor e o orientando?

Quem escolhe quem e por quê?

Voltemos no tempo para encontrar Homero, no século VIII a.C, escrevendo as duas grandes epopéias da antiguidade na Grécia: A Ilíada e a Odisséia.

Em suas narrativas vamos encontrar Mentor. Velho amigo e conselheiro, alguns dirão fiel escravo, do herói Odisseu, o qual entre nós é mais conhecido como Ulisses.

Conta Homero que Ulisses, rei de Ítaca, ao partir para a Guerra de Tróia entrega ao sábio e fiel amigo, Mentor, seu filho Telêmaco, para que fosse orientado e educado.

Terminada a guerra, Ulisses não conseguiu voltar imediatamente à sua casa. Telêmaco via, desesperado, a dilapidação do patrimônio do pai, que consideravam morto, pelos pretendentes de sua mãe, Penélope.

Penélope se esquivava e os confundia, de forma astuta, tecendo durante o dia um manto prometido ao sogro, desmanchando-o à noite. Prometera escolher um deles para casamento, assim que terminasse o manto.

Para colocar um fim naquela situação, Telêmaco decidiu sair em busca de notícias do pai. Jovem e inexperiente, partiu acompanhado de Mentor, que lhe dava suporte, orientação, inspirava, encorajava em seus objetivos e consolidava sua educação.

Note que Mentor educa Telêmaco, auxilia na formação do seu caráter, na descoberta e entendimento de seus valores e no desenvolvimento de sua sabedoria. 

A própria Palas Atenas ou Atena, a deusa da guerra, da civilização, da sabedoria, da estratégia, das artes, da justiça e da habilidade, em determinados momentos, assumia a forma de Mentor para iluminar os caminhos de Telêmaco e contribuir na sua formação. No final da jornada, o jovem  estava pronto para tomar suas decisões de forma independente.

Ora, e Ulisses e Penélope, terminaram juntos ou não?

Bom, é uma longa história. Recomendo a leitura das obras de Homero  e não serei o desmancha prazeres  contando como foram as aventuras e o romance.

Podemos encontrar o significado de mentor como: orientador de um jovem, autor intelectual, responsável pela idealização ou planejamento de uma ação, onde a execução influencia o comportamento de outras pessoas.

O mentor tem o compromisso de oferecer mais do que orientação para desenvolvimento no início da carreira.

O mentor precisa assumir seu interesse pelo orientando, oferecendo aconselhamento, compartilhando experiências e segredos da profissão para que este tenha diferenciais competitivos. O sucesso, nesse caso, não é individual, mas compartilhado, ainda que a futura recompensa financeira não lhe alcance.
 
Mentores, pessoas que adquiriram senioridade, liderança e reconhecimento profissional, colocam sob orientação jovens que no futuro serão líderes ou comandantes, substituindo-os ou não.

Nesse conceito estão aqueles que denominamos nossos backups, e que assumirão nossas funções para que possamos seguir com nossas carreiras.

Você que tem equipe sob a sua batuta deve refletir sobre os seguintes aspectos:

• Qual é a sua disponibilidade e a sua disposição para o mentoring?
• Quem mais da sua equipe poderia ser mentor?
• Quem é o mentor ideal para cada posição, evitando atropelos no futuro?
• Quem deve ser selecionado como orientando?
• Quem está interessado na sua orientação?
• Quem lucrará mais com sua ação de mentoring: você ou seu orientando?

 A propósito, falando em orientação, quem é seu mentor?





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: A linguagem do caipira brasileiro ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Perseguindo suas metas pessoais ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Mantendo os pratos em movimento... ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Educação financeira para crianças ( Jovens - Ana Paula Lisboa )

:: Amigos de verdade ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Escolhas e renuncias na juventude ( Jovens - Julio de Azevedo )

:: A evolução do conhecimento na linha do tempo ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Em busca do Super-Homem ( Jovens - Igor Matos )

:: A desculpa da tradição e a praxe em Coimbra ( Jovens - Patrícia Cozer )

:: Intercâmbio forçado ( Jovens - Ana Paula Lisboa )

:: Cursos de gastronomia ganham popularidade entre os jovens ( Jovens - Ana Paula Lisboa )

:: Julgando os erros alheios... ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Experiências longe de casa ( Jovens - Patrícia Cozer )

:: Drogas ( Jovens - Abilio Machado )

:: Conduta induzida ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Palavra ao pé de orelha aos meninos adolescentes ( Jovens - Abilio Machado )

:: Mentoring e a formação da próxima geração ( Jovens - Ivan Postigo )

:: Construir pontes entre alunos e professores ( Jovens - Cíntia Vilani )

:: L, o tipo que continua mau ( Jovens - Mauro Moura )

:: O primeiro milhão ( Jovens - Ivan Postigo )