-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Sexo
 
Jorge Azevedo

[ Jorge Azevedo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Paisagista, Decorador, Professor e Poeta

 

Homossexual não precisa ser gay

O que é ser homossexual e o que é ser gay? O homem em todos os tempos teve direito a opção sexual. A história não se nega em revelar casos e mais casos de estadistas, reis, imperadores e tantos influenciadores no centro da politica, da cultura, da ciência, das artes e em todas as áreas da vida que se declaram homossexuais.

Acontece que nem todos os homossexuais se conformam em somente ser, querem parecer, querem formar uma tribo personal onde vozes, jeitos e trejeitos, em vez de caracterizarem sua opção, caricaturam bizarramente sua condição.

O homossexual, masculino ou feminino, não perde sua condição de homem ou mulher. Nasceu “ele” e nasceu “ela”. Possuem os órgãos naturais do sexo. A opção de se entregar a este ou aquele sexo é outra história, é outra coisa.

O gay muda a voz e entona uma forma bizarra que não serve para imitar o jeito de falar da mulher e nem disfarça seu jeito de falar masculino. O mesmo acontece com a mulher, que, ao mudar a tonalidade e o ritmo de sua voz, não disfarça sua condição feminina e nem se torna voz máscula. A concepção fisiológica e anatômica de um e de outro faz com que continuem classificados materialmente “homem” ou “mulher”.

Respondendo a uma pergunta, um homossexual se definiu “normal”. Disse:

“Visto-me como homem, falo como homem e não crio trejeitos caricatos para falar e nem para andar, pois, continuo homem e assim morrerei, porém, gosto de homem, não gosto de mulher. Quando chego em algum lugar não deixo transparecer minha opção, não preciso, tenho minha vida familiar, tenho um companheiro, uma situação matrimonial estável. Não nos beijamos na rua e nem andamos de mãos dadas. Somos respeitados onde moramos justamente por isto. Todos sabem que somos homossexuais, ninguém nos olha como gays.”

“Gosto de sentir-me masculinizada” afirmou uma pesquisada. “Visto-me como se homem de fato fosse. Minha namorada se apoia em mim, ela é totalmente feminina. Vai ao salão e passa uma manhã se cuidando. Eu vou ao barbeiro e ele apara meus cabelos. Faço musculatura e quando chego em algum lugar posto-me como se homem fosse. Para mim isto não me transforma em lésbica, em gay. Sou homossexual assumida. Beijo minha namorada na rua, vamos a barzinhos e gosto que vejam eu tocar em seus seios, isto me atiça. Não nasci mulher por opção, nasci por castigo.”

Então fica a pergunta:

“O homossexual precisa se transformar em gay para se afirmar homossexual?”

A forma de falar caricata força um exercício infernal, afirmou um entrevistado. Não é fácil voce se policiar todo tempo para manter o ritmo, a harmonia, a partitura da voz, como se fosse uma composição musical. Não é natural esta forma de expressão.

“Certa vez tentei falar da forma falada por alguns gays. Forma bizarra, quase cantada e me perdi. Ora falava mais grosso que meu timbre natural, ora falava mais fino. Ora trocava sílabas, confundia palavras. Eu precisava me concentrar na linha melódica de minha voz. Desisti. O exercício não valia a pena. O esforço despendido tirava a possiblidade de prestar atenção no teor do papo, ao mesmo tempo me sentia exposto, pois, todos sabiam, tomavam consciência de minha opção. Senti-me uma aberração, quase um mutante. Hoje continuo homossexual assumido, não sou gay.”

Há diferença latente entre o gay e o homossexual, enquanto aquele se traveste de algo totalmente artificial, esse se porta naturalmente sem agredir e sem ser agredido.

Como figuras humanas, tanto o homossexual quanto o gay merecem ser tratados respeitosamente, tendo os seus espaços absorvidos com decência e compreensão. São, antes de qualquer conceituação, pessoas com deveres, direitos e obrigações. São inteligentes e capazes.

No grupo trabalhado estavam nove pessoas, cinco homens e quatro mulheres. Mentalidade heterogênea do grupo. Enquanto parte apoia a mutilação em pró da manutenção do seu condicionamento mental, outros não aderem à possibilidade de extirpar parte do corpo, ou adicionar para transformar-se esteticamente.

“Estou em contato com um mastologista de São Paulo” afirmou uma das mulheres. “Quero tirar os seios e o útero. Não aceito, me fere e agride menstruar todos os meses. Não quero parecer mulher, não sou mulher, mas, nestes dias me escondo até de minha namorada”.

“Eu estou colocando silicone” afirmou um dos homossexuais presentes. “Já coloquei 100 gramas em cada seio, 200 gramas na bunda e tomo injeção para engrossar as coxas. Estou juntando dinheiro para capar este infeliz aqui embaixo”.

A homossexualidade não deve ser vista como uma patologia e nem como caminho para a prostituição. Encontramos homossexuais, como já foi dito no inicio, em todos os setores da sociedade, como, encontramos em todos os setores da sociedade, gays assumidos e não assumidos. Não precisam eles de julgamento por parte dos heterossexuais, precisam de compreensão e aceitação.

Que vivam em paz todos os gays. Que vivam em paz todos os homossexuais. Que vivam em paz todos os heterossexuais.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Produtos eróticos para evangélicos ( Sexo - Wallace Moura )

:: Ninguém falou em Cura Gay ( Sexo - Gizelle Saraiva )

:: Ejaculação precoce ( Sexo - Abilio Machado )

:: Homossexual não precisa ser gay ( Sexo - Jorge Azevedo )

:: Quando essa agressão acontece: Abuso sexual infantil? ( Sexo - Abilio Machado )

:: Ejaculação precoce... Que mal seria esse? ( Sexo - Abilio Machado )

:: Masturba_ação... ( Sexo - Abilio Machado )

:: Marília Gabriela e Alexandre Frota ( Sexo - Luisa Lessa )

:: O homossexualismo não pode ser natural ( Sexo - Carlo Dionei )

:: Sexualiade ( Sexo - Abilio Machado )

:: Confessando que é lésbica pra mãe ( Sexo - Juliana Ladeira )

:: Fantasias sexuais ( Sexo - Ana Paula Lisboa )

:: As travestis e algumas histórias... (pesquisa acadêmica) ( Sexo - Abilio Machado )

:: O comportamento sexual de risco ante o fantasma da aids ( Sexo - Jorge Hessen )

:: Trair ou nao trair...eis a questão ( Sexo - Sílvia Sena )

:: Chega de gravidez precoce ( Sexo - Pedro Cardoso )

:: Feia e sex! Linda e... sem graça! ( Sexo - Sílvia Sena )

:: Pedófilo não tem cara ( Sexo - Pedro Cardoso )

:: Poesia baiana em Sampa ( Sexo - Valdeck de Jesus )

:: Foi bom pra você??? - AIDS ( Sexo - Sílvia Sena )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo