-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Almir Moreira

[ Almir Moreira ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Politicamente Correto, eis a questão.

 

A verdade do ser humano

Pessoas que constroem vazios. Vazios repletos de conteúdos solitários e abstratos. Pessoas pálidas, sem sangue, sem ar, mecânicas ou manuais, dia, noite, noite, tarde. Controle remoto. Vai e vem. Pessoas controladas, pessoas ricas e pobres na moral. Que nem ondas, elas vão e vem. Sempre as mesmas, grandes, médias ou pequenas: Os homens sempre são os mesmos. Pequenos, médios.. e pequenos. O mundo ja foi o útero da sabedoria, hoje é apenas o escárnio da maldade alheia.:. Fez o sol nessa primavera tão linda, o céu cinza se foi, a chuva passou, os tormentos, frio, barulho, trovão, clarão. O sol nasce, os pássaros cantam, dia lindo, pessoas andando, crianças brincando, carros passando e no canto... Bem no canto, na sombra de um lixo, um homem de 50 anos: esquecido, jogado, humilhado. O belo sempre esconde nos seus cantos o lado cinza dos dias claros. Os dias belos se foram, hoje, apenas, ilusão para aqueles falsos cegos, aqueles que nós chamamos de eu





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Eu pensando em você ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Quando a tarde parece que dorme ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Canto a um momento de melancolia ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O nascer do amor ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Tentações ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Lágrimas e lágrimas ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Violência contra a mulher não é somente o murro que transfigura ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O valor de um ponto ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Xis da questão ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Saudade de quem amo ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A ultima pedra ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Já vi anjos ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Palavras de um Anjo ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Saudade dos olhares ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Uma das minhas namoradas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Aposentando a aposentadoria ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Você, o amor de minha vida ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A energia do chão ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Palco ou plateia ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O amor é um sentimento interino ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo