-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Jovens
 
Abilio Machado

[ Abilio Machado ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Artista Plástico, Ator e Autor de Peças Teatrais.

 

Palavra ao pé de orelha aos meninos adolescentes

Alguns já estão cansados de saber, mas para os meninos, os quase rapazes nem tanto, porque o amadurecimento do ser masculino demanda tempo, experiência, autocontrole nos desafios da vida, sobretudo em relação ao feminino e para meninos adolescentes o que é do feminino é uma incógnita, mas que a natureza impõe uma atração física e emocional. Se sentem atraídos ou não, e se vêem diante do mistério que são as mulheres.

Dúvidas, dilemas, receios pelos quais passei e acredito que muitos passaram quando ainda eram jovenzinhos, e outros estão passando.

Como quando a natureza guia o menino a outro caminho, a uma sexualidade diversa, muitos deles por equívoco de referencial mimetizam o feminino anulando-se, o masculino belo e exuberante é erradicado. Cito sempre que meu olhar e imprescindivelmente paternal aos adolescentes que freqüentam os blogs e os sites que escrevo em busca de subsídios ao seu desenvolvimento masculino, pois meus escritos são minhas próprias lembranças, que pelos anos foram registradas em cadernos e que venho, depois de minha inclusão digital, digitando-os e oferecendo a olhos que queiram sabê-los.

Imagino o mar de dúvidas e receios diante da vida que devem tomar suas mentes. As dificuldades que as mudanças no corpo trazem, como por exemplo, os músculos que se modificam e a pelagem que se prolifera; o descontrole nas ereções espontâneas quando se está de moletom ou na aula de educação física; os seios que começam a surgir no caso das meninas; as transformações hormonais; a menstruação; o descontrole seminal nas poluções noturnas ou na precocidade ejaculatória; a voz muitas vezes indefinida e que oscila entre o grave e o agudo; a vontade imensa de ficar em hibernação; o apetite farto e desproporcional; a ânsia por liberdade e autonomia agravadas pelas inúmeras e repetidas cobranças familiares e de professores sobre responsabilidades com tarefas domiciliares e escolares que causa revolta e entedia; a competição com os outros garotos.

E, se isso não bastasse, a quantas andam ter sonhos românticos e até confusos sentimentos de desejo e afeto, ora por garotas, mimadas e pedantes que não os respeitam como homens. E ora pelos amigos que menosprezam este tipo de homoafetividade, fato, aliás, que causa pânico, porque o todo à sua volta acusam este tipo de relacionamento e só o fato de nas brincadeiras e jogos lhe chamarem de ‘viado’ lhe causam susto, e não esqueçam nas meninas os apelidos dantescos e estranhos como colar velcro, sapatão, machorra.

Atração por garotas que desdenham e constrangem  propositalmente diante de seus colegas, torturando a alma, preterindo-os por sujeitos mais velhos de caráter digamos duvidoso e quase sempre mais abastados financeiramente

Atração por amigos, que são lascivos, que gostam de contar suas transformações, suas aventuras, mas não são confiáveis pelo simples fato de existir esta necessidade em contar, em disseminar a todos o que fez ou faz. E neste momento o que mais se necessita é de alguém a confiar, o que pode te transformar em presa e isso soma ao medo. A princípio parece que tudo é muito ruim, e é, mas também não é, porque vem dessas experiências frustradas e  que atormentam oportunidades de amadurecimento e superação dessa fase na vida do menino-homem.

Posso dizer coisas como ‘ah se deixe levar’, ‘são fases’, ‘vai ver um dia que essa é a parte boa e engraçada da vida’ que desta fase dramática da vida lhe fará bem ao desenvolvimento e fortalecimento de sua personalidade de maneira sadia, por isso o cuidado paternal em sempre procurar nas palestras e conversas dizer para se atentar ao cuidado para que algumas ações erradas não se tornem perpétuas. Poderão rir destas experiências e talvez até sentir saudades, ou não, isso cabe a cada uma de suas escolhas.

Mesmo com esta obscuridade que existe nesta fase, nas dúvidas e indecisões, nos medos que surpreendem, e a todos os adolescentes, garotos e garotas, este texto é válido, pois para o crescimento existe a necessidade de se enfrentar desafios, só assim há fortalecimento cognitivo emocional e de personalidade, o superar-se, se fazer valer em si mesmo, de aprender a ler o ambiente, as situações e os fatos; sempre tentando trazer o melhor de si na sua relação com o mesmo sexo, com o oposto, com a família, com a sociedade e principalmente consigo mesmo.

 

Aproveitem o acervo, pois ele é fragmento de estudos e da experiência de homens e mulheres que foram adolescentes também e já passaram pelas dificuldades que vocês enfrentam hoje nos seus relacionamentos com o sexo feminino, com o sexo masculino, nas dimensões da vida, nas concepções e vínculos sociais, são matérias, artigos, crônicas que falam de pedaços do dia, pedaços do homem, pedaços da vida e pedaços do ser, e, para mim e meus colegas é um prazer poder ajudá-los a cada dia a se encontrar como homem ou como mulher, como ser humano ou como cidadão...





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: A Internet e a infância ( Jovens - Jorge Hessen )

:: A linguagem do caipira brasileiro ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Perseguindo suas metas pessoais ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Mantendo os pratos em movimento... ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Educação financeira para crianças ( Jovens - Ana Paula Lisboa )

:: Amigos de verdade ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Escolhas e renuncias na juventude ( Jovens - Julio de Azevedo )

:: A evolução do conhecimento na linha do tempo ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Em busca do Super-Homem ( Jovens - Igor Matos )

:: A desculpa da tradição e a praxe em Coimbra ( Jovens - Patrícia Cozer )

:: Intercâmbio forçado ( Jovens - Ana Paula Lisboa )

:: Cursos de gastronomia ganham popularidade entre os jovens ( Jovens - Ana Paula Lisboa )

:: Julgando os erros alheios... ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Experiências longe de casa ( Jovens - Patrícia Cozer )

:: Drogas ( Jovens - Abilio Machado )

:: Conduta induzida ( Jovens - Carlo Dionei )

:: Palavra ao pé de orelha aos meninos adolescentes ( Jovens - Abilio Machado )

:: Mentoring e a formação da próxima geração ( Jovens - Ivan Postigo )

:: Construir pontes entre alunos e professores ( Jovens - Cíntia Vilani )

:: L, o tipo que continua mau ( Jovens - Mauro Moura )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo