-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Atualidades
 
Elisabeth Camilo

[ Elisabeth Camilo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Tradutora, jornalista e mestra em Letras - Linguagem e Memória Cultural.

 

Meu inimigo secreto

Dois dias após ter comrpado um novo chip da Oi, comecei a receber diversos torpedos e todos eles se referiam a uma pessoa que não sei quem seja.  Eram provenientes de bancos, lojas, empresas de advogados e outros setores, cobrando desta pessoa valores devidos e não pagos.  Em meio a reuniões ou mesmo em aula, os torpedos surgiam, e as mensagens iam desde propostas para pagamentos financiados da dívida até a ameaças frequentes de pessoas que queriam receber seu dinheiro a qualquer custo.

  Em um país onde se pode fazer de tudo, onde políticos e ladrões se tornam íntimos, quando não se sabe mais separar o joio do trigo, esta empresa nos coloca em risco constante.  Como, por exemplo, contestar com o outro que nos liga que não somos a pessoa com quem eles querem falar e provar que não temos nada a ver com delitos de outros?

  A Oi me deu uma resposta simples e objetiva: após um ano sem uso, a empresa dispõe o número para venda e aí não é culpa da empresa se quem compra passa a ser importunado.

Somos vítimas o tempo todo de golpes sujos no mercado.  Queremos um número novo para nos livrar daquela pessoa que nos passa trotes todos os dias e, então, começamos a ser ameaçados com cúmplice de alguém que se esconde de seus devedores.  Cheguei a ouvir que eles descobririam o meu endereço e me encontrariame eu teria que pagar o que devia de qualquer forma.  Bem, a pessoa falava de meu inimigo secreto, o dono de uma linha cujo número eu comprei numa loja autorizada da própria empresa de telefonia.

Se isso ocorre com telefones, imagine com computadores, ipods, GPS e outros produtos que a tecnologia nos empurra todos os dias, afinal somos uma sociedade consumista.

Gostaria que essa pequena crítica despertasse os leitores e analistas para algo grave e já anunciado: amanhã todos nós seremos ameaçados porque é praxe trocar de número ( para evitar assédio, para fugir de cobradores, para não ter contato com o marido ou a mulher ciumentos).

Essa ideia de que meu número abandonado vai cair nas mãos de alguém em breve tempo me arrepia.  Imigem se alguém promoveu a morte de alguém e contou esse delito a outrem.  Após ter se livrado do chip ( mas agora sabemos que o número é imortal), alguém vai receber a informação: eu sei o que você fez... e vai entrar em pânico, como a velha cena do cinema.

Políticas de privacidade precisam ser tratadas imediatamente pelas nossas autoridades.  Podemos ser ameaçados por ladrões. sequestradores, estupradores e agiotas o tempo todo, mesmo sem saber porque eles nos assediam se nada devemos a eles.  Ah, para confirmar o título, acabamos por conseguir inimigos secretos.  Este é o nosso mais terrível reality show: a exposição das mazelas dos outros vem até nós de forma gratuita...





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Deus é brasileiro ( Atualidades - Manoel Tupyara )

:: Decadência cultural ( Atualidades - Nylton Batista )

:: Segurança Pública no Brasil ( Atualidades - Gizelle Saraiva )

:: Voo MH17 - Quando a insensatez gera morte ( Atualidades - Wallace Moura )

:: Vade retro, Satanás ( Atualidades - Nylton Batista )

:: A morte de DG, do Esquenta, e ações “pacificadoras” das UPP, no Rio ( Atualidades - Cristiana Passinato )

:: Desapropriados da favela da Telerj no Rio, na Catedral ( Atualidades - Cristiana Passinato )

:: Páscoa: mero comércio? ( Atualidades - Cristiana Passinato )

:: Nós não merecemos ser estuprados, abusados, desrespeitados 01 ( Atualidades - Elisabeth Camilo )

:: Maré sitiada ( Atualidades - Cristiana Passinato )

:: Incultura como base ( Atualidades - Nylton Batista )

:: Mais austeridade ( Atualidades - Manoel Tupyara )

:: Credibilidade em estado de coma ( Atualidades - Manoel Tupyara )

:: 14 de Março: Dia Nacional da Poesia ( Atualidades - x - Contribuições )

:: Greve dos garis no Rio de Janeiro ( Atualidades - Cristiana Passinato )

:: A intencionalidade das matérias exibidas pela grande mídia ( Atualidades - Maria Tereza )

:: A apreensão do público diante da ausência da grande mídia nas manifestações de São Paulo, no início de 2014: o estabelecimento do caos ( Atualidades - Maria Tereza )

:: Quando a vontade de fazer justiça se transforma em mais injustiças ( Atualidades - Wallace Moura )

:: Primeiro beijo gay foi no SBT ( Atualidades - Ruy Matos )

:: Tesconjuro, IPHAN ( Atualidades - Nylton Batista )
 
 

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo