-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em História e Literatura
 
Luisa Lessa

[ Luisa Lessa ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Uma estudiosa da vida, amante da ciência e dos bons textos.

 

Presença Tupi na Língua Portuguesa

Quando os portugueses aportaram no Brasil, no ano de 1500, encontraram grande população indígena, com cerca de 1.200 línguas. O tupi era uma dessas línguas, e, ao contrário do que se imagina, não era falado por todos. No entanto, até meados do século XVIII, o tupi foi o idioma mais falado no território brasileiro. Quem não falava o tupi como língua primeira, falava-o como língua segunda. A língua geral nada mais era do que a língua tupi. 

Segundo informações colhidas em importantes fontes de estudos, o tupi legou mais de 20.000 palavras ao vocabulário da Língua Portuguesa do Brasil. Mas essa grande herança é desprezada na grade curricular das escolas do país. São exemplos da presença tupi no cotidiano da linguagem no Brasil:

Capiau (ou kapiaba: kaa = mato + abá = gente): gente do mato, matuto, acanhado.

Capixaba (kopiçaba: ko = roça + [p]i = pequeno + taba/[ç]aba = local para roça). 1. Nome dado ao morador do Espírito Santo; 2. Nome de município acreano.

Jururu (provável variante de cururu: sapo): melancólico, tristonho.

Lenga-lenga (nheenga = fala + nheenga = fala): muita conversa, conversa fiada.

Mocó: roedor da família dos cavídeos; na gíria significa casa rústica e também pessoa sem vaidade, matuta.

Nhen-nhen-nhen (forma apocopada de nheeenga-nheenga, usada nas regiões onde houve influência guarani). O mesmo que lenga-lenga.

Oi: saudação tupi.

Pererê (forma apocopada de perereca - pere’eka = ir aos saltos): aquele que anda pulando, vindo daí o personagem saci-pererê, que possui uma única perna.

Pororoca/peruruca (apopora/poporak = pular): pipoca; fenômeno da região amazônica, quando o rio Amazonas se encontra com o mar.

Sururu (seru’ru = mexilhão): mexilhão; revolta, motim.

Tapera (taba = aldeia + puera = o que foi): aldeia abandonada; casa em ruínas.

Tiririca (aimotyryryk = arrastar): planta que se espalha; Diz-se também da pessoa que ficou zangada, enfezada.

Toró (forma sincopada de tororó): tempestade, chuva forte.

Tororó (língua geral?): fonte, bica, conversa fiada.

A contribuição indígena, ao português brasileiro, não termina com uma lista de palavras. É tema fascinante que merece ser mais bem estudado, ainda mais em meio à população amazônica.

 

DICAS DE GRAMÁTICA

Como evitar gafes ao falar ou escrever? No dia-a-dia de nossas atividades estudantis, profissionais ou de lazer, nos discursos, na correspondência, ou mesmo no bate-papo entre amigos, qual de nós não cometeu algumas impropriedades de linguagem? O tempo passa e, se não exercitarmos o que estudamos e aprendemos, certamente alguma coisa vai escapar. E vai daí que... Pensando nisso tudo, apresentamos uma série de formas próprias e impróprias de nos expressar, evitando, assim, &39;gafes&39; desnecessárias. Na coluna da esquerda, apresentamos as formas impróprias, ou seja, incorretas; à direita, estão as formas próprias, ou corretas. 


IMPRÓPRIAS  - PRÓPRIAS

A defesa entrou com recurso - A defesa interpôs recurso

Aposentados recebem vencimentos - Aposentados recebem proventos

As injeções já foram aplicadas - As injeções já foram feitas

As sentenças são anunciadas - As sentenças são prolatadas ou proferidas

Caiu dentro da piscina - Caiu na piscina

Chefes dos Executivos recebem vencimentos e ajuda de custo - Chefes dos Executivos recebem subsídios e ajuda de representação

Despachos de juízes são assinados - Despachos de juízes são exarados

Despesa é limitada - Despesa é fixada

Ele está atendendo a telefonema dela - Ele está atendendo ao telefonema dela

Empregados regidos pela CLT recebem ordenados - Empregados regidos pela CLT recebem salários

Escreventes da Justiça são funcionários - Escreventes da Justiça são serventuários

Estive na divisa do Brasil com a Bolívia - Estive na fronteira do Brasil com a Bolívia

Exonerações são decretadas - Exonerações são concedidas

Falou no telefone - Falou ao telefone





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Ariano e sua eterna luta contra moinhos que não são de ventos. ( História e Literatura - José Flôr )

:: História das mentalidades: O Esperanto. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Coração da Mata ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: O redescobrimento do Heliocentrismo e da esfericidade da Terra. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Considerações literárias: diários, semanários e mensários...qual é a melhor escolha? ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Quinze de novembro de 1889 – O golpe da República e a interrupção do processo civilizatório. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A arte de viver só ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A desesperança em Wander Piroli ( História e Literatura - Lecy Pereira )

:: O mito da palavra Saudade ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A Cultura do hedonismo e o Vale+ Cultura ( História e Literatura - Mauro Moura )

:: Profissionais da História ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A riqueza dos hipônimos e dos hiperônimos ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A Fábrica de Robôs ( História e Literatura - Lecy Pereira )

:: Da Família Imperial aos funcionários públicos: a destruição das imagens na História. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A simbologia da Páscoa ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: As línguas indígenas amazônicas: salvá-las ou deixá-las morrer? ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Mitologia e História: E os heróis míticos. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Pequeno Inventário das Línguas Africanas ( História e Literatura - Antonio Carlos )

:: As palavras comandam a vida ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Rumo ao Colaborativo ( História e Literatura - Lecy Pereira )
 
 

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo