-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em História e Literatura
 
Roberto Bastos

[ Roberto Bastos ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Historiador, professor de História, monarquista, budista, ex-músico e eterno estudante de artes marciais.

 

Para que serve a História e a quem ela serve?

 

Símbolo de História

A história é a ciência do homem no tempo, ou seja, o ser humano tem historicidade. A História nos serve para colocar na memória os passos da humanidade, nos identificar no tempo e espaço; apresentar os processos de formação de uma civilização, através da dinâmica de causa e efeito; narrar a vida dos homens de antanho; compreender os processos de mudanças e permanências dos fenômenos sociopolíticos e culturais e, enfim, fazer entender os devires históricos dos homens, para não cometerem os mesmos erros, além de indicar a grandeza dos gigantes de antanho e seus exemplos morais, rumo a eternidade.

Mérito e grandeza

Depois de ser explicada, a serventia da História, se faz necessário citar, com seriedade, as dificuldades que se apresentam nas aplicações das aulas de História.

Esta ciência se tornou alvo da indiferença, do escárnio e da corrupção ideológica. O público em sua preguiça, arrogância e imaturidade desprezam o conhecimento histórico e o profissional que o explana. A ralé dá muito mais preferência aos sentimentos desnecessários, a futilidades e ao imediatismo. Buscam na internet, através de sites errados, informações incompletas.

Oclocracia

A triste verdade é que as Ciências Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia), algumas Ciências da Natureza (Física, Química e partes da Biologia), com exceção da Matemática (parcialmente) e Programa de Saúde, não atendem ao público, porque é demais para suas primitivas e oligofrênicas mentes, pois não há interesse.

Talvez fosse melhor voltar com os Estudos Sociais, Moral & Cívica e O.S.P.B (Organização Social e Política Brasileira – este para o Ensino Médio), em virtude da imaturidade e incapacidade mental da plebe.

Oligofrenia

Como foi explicada a serventia da História agora nos concentremos na analise para quem serve.

Segundo os iluministas (pensadores do Séc. XVIII), que iniciaram um movimento de laicização do conhecimento, mas que em um primeiro momento, o conhecimento era dirigido aos burgueses, em virtude de seu destaque social, e aos líderes, que possuíam, ainda, as virtudes e preparos para governar a sociedade – os então, Déspotas Esclarecidos.

Devido a esta laicização e, posteriormente, ocorreu a vulgarização do conhecimento. Vulgarizar é levar o conhecimento a todos, porém esta massa não estava disposta a receber o conhecimento histórico. Segundo Confúcio, se faz necessário lapidar os sábios e educar os atrasados. Porém o povo se assenhoreou de tudo, de maneira usurpadora, objetivando os deleites sem herdar as angústias, como nos explicou José Ortega y Gasset, em outras palavras queriam os fins, o prêmio, sem passar pelo processo de conquista. O homem contemporâneo em sua arrogância e fome desejou o poder, satisfação imediata e a riqueza.

Involução

O povo não conquistou nada, lhes foi concedido, por não conquistar desprezou o que lhe foi dado, depredando o patrimônio cultural. A História para o povo é um bem, uma ciência sem valor. Já nas mãos dos esclarecidos, dos aristocratas e dos dirigentes é uma ferramenta valiosa para compreender e utilizar.

Em síntese a História serve aos sábios e aos heróis e sua utilização é para compreender o devir histórico, realizar a Paidéia e manter a civilização.

Sábios





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Considerações literárias: diários, semanários e mensários...qual é a melhor escolha? ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Quinze de novembro de 1889 – O golpe da República e a interrupção do processo civilizatório. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A arte de viver só ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A desesperança em Wander Piroli ( História e Literatura - Lecy Pereira )

:: O mito da palavra Saudade ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A Cultura do hedonismo e o Vale+ Cultura ( História e Literatura - Mauro Moura )

:: Profissionais da História ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A riqueza dos hipônimos e dos hiperônimos ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A Fábrica de Robôs ( História e Literatura - Lecy Pereira )

:: Da Família Imperial aos funcionários públicos: a destruição das imagens na História. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A simbologia da Páscoa ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: As línguas indígenas amazônicas: salvá-las ou deixá-las morrer? ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Mitologia e História: E os heróis míticos. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Pequeno Inventário das Línguas Africanas ( História e Literatura - Antonio Carlos )

:: As palavras comandam a vida ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Rumo ao Colaborativo ( História e Literatura - Lecy Pereira )

:: Fotografia: arte e documento histórico. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Por que as palavras mudam de sentido no correr do tempo? ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Os bens modelares de uma pessoa diante da vida ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Adicional de Insalubridade/Periculosidade na Dinamarca de Shakespeare ( História e Literatura - Antonio Carlos )
 
 

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo