-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Religião Cristã
 
Alessandro Mendonça

[ Alessandro Mendonça ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Formado em Teologia pela Faculdade Teológica Batista Nacional (DF) em 1997 e ordenado Pastor batista em 1998.

 

Pescadores de Homens

E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores;

E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.

Então eles, deixando logo as redes, seguiram-no.

E, adiantando-se dali, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, num barco com seu pai, Zebedeu, consertando as redes;

E chamou-os; eles, deixando imediatamente o barco e seu pai, seguiram-no. 

Mateus 4:18-22

 

 

A força do convite de Jesus e o imediatismo da resposta de André e Pedro são impressionantes, mas a atitude daqueles pescadores não foi de forma alguma irrefletida, emotiva ou irracional. 

Antes de meditarmos, porém no que o chamado é, convém refletir sobre aquilo que ele não é. 

O que o chamado não foi?

Não foi um “chamado zumbi”. Jesus não vampirizou os discípulos deixando-os com olhos vidrados e aquela mono-fala do tipo “Sim, Mestre. Ouço e obedeço”. 

Não foi uma renúncia sacrificial, pois sacrifício é quando deixamos algo superior por algo inferior e, no caso em questão, Pedro e André entenderam que havia algo especial e mais elevado naquele convite.

Não foi ‘amor a primeira vista’. Foi um segundo chamado. O Evangelho de João registra que Pedro e André já haviam tido um primeiro contato com Jesus (inclusive anunciando a outros: “Achamos o Messias!”). Por alguma razão desconhecida, Pedro e André (depois de terem conhecido Jesus) voltaram às redes. Aquele convite à beira-mar não era um primeiro encontro, era uma nova oportunidade.

Isto posto, podemos refletir sobre as inúmeras lições contidas nessa passagem.

Sempre existe uma ‘causa’ maior àquela a qual me dedico. Se sou médico, há uma salvação maior de vidas; se sou arquiteto há uma edificação maior por fazer; se sou policial há uma segurança maior a manter, se sou publicitário há um produto melhor a se divulgar. Para aqueles dois homens o ramo pesqueiro era seu meio de subsistência e de sobrevivência, mas havia uma causa maior, um meio de super-existência e super-vivência. 

O “vinde após mim” implica mudanças e manutenções. Jesus não convida os pescadores de peixes a se tornarem mecânicos de homens, mas ‘pescadores de homens’. O Chamado não desqualifica as aptidões e peculiaridades das pessoas.

O Chamado não é renúncia, é crescimento, é promoção, é nova perspectiva. Sacrifício é deixar algo melhor por algo pior. Trocar peixe por gente é ‘recolocação no mercado de trabalho’. Aqueles homens foram movidos por um desafio. Por isso responderam tão prontamente. 

Nem só de peixe viverá o homem, mas de tudo o que sai da boca de Deus – às vezes pensamos que o nosso sustento está no barco e na pesca, está no labor, no lazer, 

Não há seguir, sem deixar – certamente há barcos que deixamos na praia em nossa história. Algo/alguém ficou pra trás. Não porque você ‘precisou’ deixar, mas porque você simplesmente ‘quis’ deixar. Perdeu o sentido, perdeu a importância.

Não há seguir, sem mudança de valores – ninguém deixa tão facilmente, tão instantaneamente algo de valor; mas o chamado promove uma revolução das ações da bolsa de valores da nossa vida de modo que realocamos nossos recursos naquilo que realmente é rentável: pescaria de gente, arquitetura de gente, jardinagem de gente.

A ‘isca’ que fisgou aqueles quatro primeiros discípulos foi a mesma que Jesus os ensinaria a usar. O convite à “pescaria de homens” feito a pescadores de peixes é um convite a uma “supra-utilidade”. Inculcar na mente de um homem que seu talento e suas habilidades podem servir a um propósito maior e eterno é uma isca eficientíssima.

Nem todos são chamados à serem pescadores de homens porque nem todos são pescadores de peixes. Jesus não chamou o publicano Mateus, por exemplo, para pescar homens. O apelo fazia sentido para aquela classe de trabalhadores. Há e haverá espaço e necessidade para o chamamento de mecânicos de corações, promotores de justiça divina, cirurgiões de almas, arquitetos de novas vidas.

Quando ouvimos e aceitamos o chamado não temos a sensação de estarmos ‘deixando tudo’. As redes, os peixes e os barcos eram apenas parte de um processo. A pescaria tradicional continuou fazendo parte da vida dos discípulos e mesmo Jesus chegou a pescar com eles. Todavia o que os definia agora era um alvo maior: conquistar gente, pescar corações e fazer peixe deixar de ser comida pra virar pescador.






Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: O missionário viável - alguém que torna a vida melhor onde quer que esteja ( Religião Cristã - Alessandro Mendonça )

:: As verdades sobre a Videira ( Religião Cristã - Linaldo Lima )

:: A Verdade Está Com Os Símplices ( Religião Cristã - Alessandro Mendonça )

:: A vida que somente Ele dá ( Religião Cristã - Linaldo Lima )

:: A Triade da Graça ( Religião Cristã - Linaldo Lima )

:: O Sucesso é... Ser Um Escolhido! ( Religião Cristã - Alessandro Mendonça )

:: Milagres ( Religião Cristã - Carlo Dionei )

:: Um deus a serviço de Deus ( Religião Cristã - Linaldo Lima )

:: O Fator Efraim ( Religião Cristã - Alessandro Mendonça )

:: Carta aos Cristãos do Mundo Inteiro ( Religião Cristã - Mizael Souza )

:: Eita povo ruim de morrer ( Religião Cristã - Linaldo Lima )

:: Lições aprendidas com Zaqueu ( Religião Cristã - Linaldo Lima )

:: Sinais ou Circunstâncias - O que guia sua fé? ( Religião Cristã - Alessandro Mendonça )

:: Cristofobia é homofobia ( Religião Cristã - Ruy Matos )

:: Ataques gratuitos aos evangélicos ( Religião Cristã - Ruy Matos )

:: A Igreja verdadeira ( Religião Cristã - Ruy Matos )

:: A Imago Dei ( Religião Cristã - Alessandro Mendonça )

:: O Natal de Simeão ( Religião Cristã - Alessandro Mendonça )

:: Eu queria ser uma nota de cem reais ( Religião Cristã - Alessandro Mendonça )

:: Ajude o seu próximo ( Religião Cristã - Luciano Deschamps )
 
 

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo