-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em História e Literatura
 
Luisa Lessa

[ Luisa Lessa ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Uma estudiosa da vida, amante da ciência e dos bons textos.

 

A simbologia da Páscoa

Páscoa, do hebraico Pessach, significa passagem, através do grego;, um evento religioso cristão. É considerada a maior e a mais importante festa do Cristianismo. Na Páscoa os cristãos celebram a Ressurreição de Jesus Cristo, depois da sua morte por crucificação, que teria ocorrido nesta época do ano em 30 ou 33 dC. A Páscoa pode cair em uma data entre 22 de março e 25 de abril. O termo pode referir-se, também, ao período do ano canônico que dura cerca de dois meses, desde o domingo de Páscoa até ao Pentecostes. Na língua portuguesa, como em muitas outras línguas, a palavra Páscoa origina-se do hebraico Pesah. 

Os espanhóis chamam a festa de Pascua, os italianos de Pasqua, os franceses de Pâques. Provavelmente em outras línguas não saiu do hebraico, assim, tem-se: latim Pascha, azerbaijano Pasxa, basco Pazko, catalão é Pasqua, crioulo haitiano Pak, dinamarquês Påske, Pasko em esperanto, galês Pasg, Pasen em holandês, indonésio Paskah, Páskar em islandês, Paskah em malaio, em norueguês påske, Pasti em romeno, Pasaka em suaíle, påsk em sueco e Paskalya em turco. Na Páscoa, é comum a prática de pintar ovos cozidos, decorando-os com desenhos e formas abstratas; em grande parte dos países ainda é um costume comum, embora que em outros, os ovos tenham sido substituídos por ovos de chocolate. No entanto, o costume não é citado na Bíblia e portanto, isto é uma alusão a antigos rituais pagãos. A primavera, lebres e ovos pintados com runas eram os símbolos da fertilidade e renovação associados a deusa nórdica Gefjun. Os Símbolos da Páscoa são representações que fazem parte dos rituais da Semana Santa: círio pascal, coelho, trigo, uva, peixe, girassol, ramos de palmeira. Vejam-se o significado de cada um: O Círio Pascal - É a vela que representa o Cristo Ressuscitado que deixou o túmulo, radioso e vitorioso. 

Na vela pascal, ficam gravadas as letras alfa e ômega, significando que Deus é princípio e fim. Os algarismos do ano também ficam gravados no Círio Pascal. Nas casas cristãs é comum o uso da vela no centro da mesa no almoço de Páscoa Os sinos - Cantam a alegria da Ressurreição expressa nos cânticos de Aleluia. Tocando, festivamente, anunciam novos tempos, alma nova para as pessoas. O coelho - Animal que se reproduz em grandes ninhadas, e por representar o nascimento, a vida, tornou-se símbolo da fertilidade. Está relacionado às festividades da Páscoa por representar a esperança de vida na Ressurreição de Jesus Cristo. O ovo - É o símbolo da vida que surge repentinamente, destruindo as paredes externas e irrompendo com vida. Simboliza a Ressurreição. Trigo e uva - Simbolizam o pão e o vinho da Santa Missa e, por seu grande significado com a Trindade Santa, traduzem, por excelência, o símbolo Pascal. Para a ornamentação da mesa de Páscoa, nada mais indicado que um centro feito com uvas e trigo, entre cestas de pães e jarras de vinho. 

O peixe - O peixe é um símbolo trazido dos apóstolos que eram pescadores. É um símbolo de vida, usado pelos primeiros cristãos, no acróstico IXTUS - peixe em grego.  As letras são as iniciais de "Iesus Xristos Theos Huios, Sopter", que significa "Jesus Cristo, Filho de Deus, o Salvador". Faz parte do ritual da Semana Santa comer peixe na Sexta Feira Santa, para lembrar o ritual dos 40 dias de jejum de carne, seguidos pelos cristãos durante a Quaresma. O girassol - O girassol tem um simbolismo especial, pois está sempre voltado para o Sol, astro-rei, assim como as almas das pessoas que devem estar viradas para o Divino – Sol, ou seja, Cristo Ressuscitado. Os ramos de palmeira -

 A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, ocasião em que as pessoas cobriam a estrada com folhas de palmeira, para comemorar sua chegada. Hoje as folhas de palmeiras são usadas na decoração das Igrejas durante as comemorações da Semana Santa. A cor roxa - É símbolo da Páscoa. Existe uma flor de nome "Quaresmeira", que é conhecida como a flor que anuncia a Páscoa. Um dos motivos para receberem esse nome se deve a sua época de floração ser próxima ao período religioso denominado "Quaresma", que antecede à Páscoa. Outro motivo é a tonalidade de cor das flores ser muito próxima do roxo que representa a Páscoa. Então, a Páscoa não é simplesmente ovos e coelhos de chocolate, festa, presentes. É renascimento, renovação, festa da libertação. Época de repensar a vida e renová-la, de refletir sobre o menino que se tornou homem, morreu e ressuscitou, elevando-se ao céu, provando aos seres humanos que há uma força divina, maior, a reger a vida e os destino das pessoas. Que esta data renove em cada um a humildade e a sabedoria para irmanar-se ao outro, tanto no tempo de Paz quanto naquele adverso. Feliz Páscoa! 





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Remanso da vida ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Ter bons amigos é ter mais saúde e felicidade ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Um olhar sobre o ensino de português ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: O português é uma realidade monolítica no Brasil? ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: História Cultural: o Rock n’ Roll brasileiro da década de 1980. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Década de 1970 – O contexto musical do Brasil: o Estrangeirismo. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: O que é a verdade? ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Epiteto: Filósofo e escravo. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Apreciação literária: Paz Guerreira de Talal Husseini. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Ariano e sua eterna luta contra moinhos que não são de ventos. ( História e Literatura - José Flôr )

:: História das mentalidades: O Esperanto. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Coração da Mata ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: O redescobrimento do Heliocentrismo e da esfericidade da Terra. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Considerações literárias: diários, semanários e mensários...qual é a melhor escolha? ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Quinze de novembro de 1889 – O golpe da República e a interrupção do processo civilizatório. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A arte de viver só ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A desesperança em Wander Piroli ( História e Literatura - Lecy Pereira )

:: O mito da palavra Saudade ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A Cultura do hedonismo e o Vale+ Cultura ( História e Literatura - Mauro Moura )

:: Profissionais da História ( História e Literatura - Roberto Bastos )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo