-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Educacao
 
Luisa Lessa

[ Luisa Lessa ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Uma estudiosa da vida, amante da ciência e dos bons textos.

 

Educação como arte de bem viver

Existe uma queixa frequente, no meio social, no que diz respeito à pouca educação das pessoas no trato com as outras. Observa-se uma ausência de valores educacionais refletidos na filosofia cotidiana. Há um comportamento egoísta, presente, modo geral, em variadas esferas: política, social, comercial, estudantil. Imperam as individualidades, as vantagens pessoais, em detrimento do bem coletivo. Muita gente desfruta de impunidade e vive com a sensação que o mundo lhe pertence. Assim, para algumas pessoas, a vida corre sem freios, proibições, sanções, enquanto para outras é como um fio de navalha.
Indaga-se, aqui, o que fazer para se alcançar a Educação como arte de bem viver?! A primeira resposta está em seguir os preceitos da Carta Magna, a Constituição da República Federativa do Brasil, que no Artigo 205. Ali está assegurada a educação “ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho, consequentemente para a vida”.
Na prática, a educação, no meio social, virou uma espécie de utopia. Há um desencontro entre os conteúdos escolares e a vida das pessoas. Parece que ninguém está aprendendo a viver em igualdade. Há pessoas xingando outras em aspecto banais da vida: porque o sinal de trânsito fechou; porque abriu e o outro não avançou em disparada; porque alguém não sabe usar o cartão numa máquina no banco; porque deseja passar à frente do outro numa fila; porque deseja ser atendido em primeiro lugar; porque quer o melhor lugar no estacionamento; porque deseja conversar em plena via pública com outro; porque um anda devagar; porque outro está apressado. Há insultos no trânsito, hospitais, supermercados, escolas, universidades, comércio etc.
Avista-se, então, não se poder falar em igualdade na sociedade, tendo desigualdade na educação. Pois o que faz igualdade é educação igual. Mesmo tendo educação igual no acesso, algumas pessoas têm mais talento que outras. É aceitável que alguns tenham roupa bonita e, outros, feia; que uns tenham carro grande e, outros, pequeno e que alguns até andem de ônibus. O que não é aceitável é alguns terem escola boa e outros freqüentarem uma ruim. Isso faz toda a diferença no mundo social, na pouca educação das pessoas, nas ações mais corriqueiras da vida.
Então, para se obter “Educação como arte do bom viver”, é preciso investir em educação, dar educação, transmitir educação, viver educação. E como fazer isso?! – Simples, seguir os preceitos constitucionais. A tarefa de educar deve ultrapassar as fronteiras do relacionamento formal de uma sala de aula, de um auditório, de uma prova, uma tarefa escolar.
A educação deve alcançar todas as áreas da vida humana. Educar para a vida é a chave para uma sociedade justa e feliz. Quando o que se ensina/aprende "intra muros" não tem sua relevância e importância na realidade "extra muros", chega-se ao momento de reavaliar métodos, valores e princípios. É tarefa urgente, para evitar o caos no mundo. Vida humana é um bem precioso, que necessita ser bem cuidada.
Outro dia li artigo de um professor da Universidade de Paris VIII, Bernard Charlot. Para ele a escola deve passar ao estudante uma cultura universal. A escola não deve passar informações, como tanto acontece. Ela deve passar saberes. Segundo o professor, a informação é só um enunciado. Se não for contextualizada não será capaz de formar nenhum jovem. Ao contrário, o saber é capaz de operar milagres em ambientes educacionais e operar mudanças radicais numa sociedade.
Então, como operar essa magia que nós educadores tanto sonhamos e desejamos? Como passar saberes e não apenas informar? Antes de tudo, é fundamental compreender que educar é comunicar, interagir num relacionamento educador-educando, onde um torna-se o outro e vice-versa. E esta comunicação de relacionamento com o outro não consiste de um só aspecto, mas de dois: palavras e atitudes. Se se deseja educar para a vida e não apenas para o (mal) cumprimento de obrigações e responsabilidades educacionais, deve-se estar consciente de que as atitudes "falam" tão alto quanto as palavras.
E, na atualidade, há total desarmonia entre as palavras e as atitudes das pessoas. Quando uma não contradiz a outra é o contrário. Coerência é o imperativo de nosso tempo. E nesse particular o educador deve ser modelo, em vários aspectos da vida, senão em todos. O educador deve agir mais ou menos assim: se está planejando por um ano, cultive arroz; se está planejando por 20 anos, cultive árvores; se está planejando séculos, cultive seres humanos, dê-lhes educação.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Português versus Inglês ( Educacao - Luisa Lessa )

:: O portugues do Brasil: proibições e heranças ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Olhar científico e ideológico sobre o idioma português ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Crítica aos críticos da Filosofia. ( Educacao - Roberto Bastos )

:: O tempo é um mestre ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Mistérios e segredos da escrita ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Educação como arte de bem viver ( Educacao - Luisa Lessa )

:: O fracasso escolar brasileiro ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Acordo da polêmica ( Educacao - Nylton Batista )

:: O nível da educação no Brasil ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Pilares da educação cidadã ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Mudar a forma de ensinar e de aprender ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Pós-graduações holísticas. ( Educacao - Roberto Bastos )

:: Educar sempre ( Educacao - Jorge Hessen )

:: Educação e gêneros. ( Educacao - Roberto Bastos )

:: Classificação tipológica das línguas do mundo ( Educacao - Luisa Lessa )

:: As palavras comandam a vida ( Educacao - Luisa Lessa )

:: Pátria educadora, falência no letramento e na educação ( Educacao - Elisabeth Camilo )

:: Vivendo e aprendendo com as metáforas ( Educacao - Antonio Carlos )

:: Todos e todas não são pronomes de tratamento ( Educacao - Luisa Lessa )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo