-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Jorge Azevedo

[ Jorge Azevedo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Paisagista, Decorador, Professor e Poeta

 

E se formos todos, zumbis?

É verdade, estou pensando e refletindo... Na morte e na vida. E se tudo estiver errado? Se o certo não for o que parece e se o que parece não ser é o que é?

Estou pensando, estou refletindo... Na vida e na morte.

Estamos vivos... Estamos? E se não estivermos? E se quem morre é o espírito e nós somos o que resta dele? O espírito morre, nós nascemos, nascemos e vivemos a morte pensando que vivemos a vida, enquanto isto, em outro plano, o espírito descansa, morto, enterrado, ou em ebulição, ou levitação, sendo gerado para renascer, ou nascer.

Somos a parte podre do espírito, somos zumbis, por isso necessitamos de alimento e comemos os seres vivos, mas, antes os matamos, trucidamos, precisamos ser selvagens para não alforriarmos nosso lado selvagem, enquanto isso, levita o espírito em uma bolsa amoniacal, durante dezenas de anos, somos na verdade a germinação do espírito, depois de sua morte, ele dorme, precisamos nos alimentar para alimentá-lo, somos a sua bolsa, o cordão umbilical e pensamos que nós somos a vida, quando nós podemos ser a morte. Pensamos que somos os seres vivos, quando na verdade somos os seres mortos.

A vida não está aqui, a vida está lá, por isso voltamos sempre, nosso corpo apodrece porque é o resto, o corpo do espírito não apodrece porque é a vida. E se for assim? Se for assim estará tudo errado como nos ensinaram. Nos ensinaram que a morte é o fim, nesse caso, a morte é o começo.

Estou pensando, estou refletindo... Vida e morte. E se não houver morte? Se a morte for a conclusão do sistema? O espírito se despe do que chamamos corpo, quando nos ensinaram que nós nos despimos do espírito. Como pode ser verdade se o corpo acaba e o espírito permanece? Jesus quando morreu não foi o corpo que viveu, foi o Espírito, Deus é luz, é energia, é espírito, não é corpo, corpo de carne, de osso, corpo como nosso corpo, corpo zumbi que precisa de alimento, alimento vivo para viver. Será que somos mesmo quem vive, ou será que somos quem morre? Somos quem morre ou mortos somos e vivemos acima do mundo? O mundo fica dentro da Terra, no centro onde há os magmas e as águas ferventes. Será que somos subterrâneos quando vivos e quando mortos somos superficianos? Por isso nos enterramos quando o corpo debilitado se acaba precisa entrar nas tumbas para se entranhar na terra e voltar a nascer?

Estou refletindo e pensando. O corpo que vive pode ser o corpo morto e o corpo quando morre é na verdade a vida do corpo. Será assim? Será?





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: O rótulo da garrafa de vinho ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Não me provoquem depressão ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu quero ser adotado, por favor, me adote... ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu pensando em você ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Quando a tarde parece que dorme ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Canto a um momento de melancolia ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O nascer do amor ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Tentações ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Lágrimas e lágrimas ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Violência contra a mulher não é somente o murro que transfigura ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O valor de um ponto ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Xis da questão ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Saudade de quem amo ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A ultima pedra ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Já vi anjos ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Palavras de um Anjo ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Saudade dos olhares ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Uma das minhas namoradas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Aposentando a aposentadoria ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Você, o amor de minha vida ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo