-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Fabiana Barros

[ Fabiana Barros ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Jornalista, contista, escritora e palestrante. Escreveu roteiros para televisão e cinema, além de musicais infantis. Autora de diversos livros.

 

Eu aprendo e ensino brincando

  Eu aprendo brincando...

A arte de ensinar é um caminho, uma vocação que deve e pode ser ensinada por quem também deseja aprender, porque educar é estar preparado para ser educado também. A educação é uma ponte onde transitam mestres e aprendizes. E o professor deve ser muito mais do que um educador, ele deve dar as ferramentas para o aluno construir os próprios caminhos e trilhas que o levarão a uma infinita possibilidade de existir...A ludicidade é uma prática de aprendizagem que acredito entusiasmar o aprendiz. Uma vivência que convida o aprendiz a conhecer inúmeras maneiras de estimular o imaginário e descortinar a realidade de uma forma divertida e entusiasmada. Brincar não é sinônimo apenas de diversão, a brincadeira ela desconstrói muros da intolerância, dos medos, da insegurança, ela derruba preconceitos e mostra a criança que ela pode construir novos sonhos e conceitos, acreditar em verdades que eram ditas como mentiras e direitos.O lúdico encanta porque ele não está preso aos porquês de uma vida concreta. Ele desperta a imaginação e faz pulsar mais forte o coração de quem brinca e quer brincar. Deixar a cadeira confortável da platéia e abandonar a veste de espectador, para ter coragem de vestir a personagem que atua. E que conhece o sabor de uma liberdade de expressão que liberta todos os sentidos. Uma explosão de sensações, sentimentos e emoções num teatro que representa a própria vida, o existir. Ela pinta as cores de uma existência sem dores, sem raças pré-definidas. Ela cura feridas com sorrisos, palhaços e abraços.Talvez alguns ainda pensem e defendam que a arte do lúdico na prática de educar seja apenas um hobby, uma fuga ou faça parte de um recreio que só existe para recrear, mas esta arte ultrapassa o limiar de um tempo pré-estabelecido. Ela deve e pode ser vivida e vivenciada como um momento mágico, pontual e inesquecível para a criança.A ludicidade faz renascer e desperta a curiosidade, a necessidade de uma liberdade de vida, como um concerto de notas que compõe uma canção. Ludicidade não significa ludibriar os sentidos, mas ela mostra uma direção para um coração, uma mente que anseia por libertação.Brincar é educar o tato, o olfato, o olhar, a mente para o despertar de um hoje que ainda não é amanhã. O presente precisa ser vivido e ensinado como algo extremamente importante, fundamental para a construção dos alicerces de uma educação que pode ser para sempre, uma semente que dará muitos frutos e passará de geração a geração...Eu acredito que inserir brincadeiras e o lúdico na arte de ensinar, convida o aprendiz a despertar o que estava adormecido: talentos, sentimentos, desejos, vocações e direções que podem ser seguidas sem medo. Esculpir destinos de meninos e meninas que sonham em com coisas que antes não imaginavam que existiam. Sorrir sem receio de ser criticado e não esperar apenas ser ovacionado e aplaudido no final de cada ato. Viver é muito mais do que isso. É ter coragem de criar realidades dentro de um cotidiano que, às vezes, sufoca o dom que pulsa mais forte dentro do peito. Educar com liberdade é garantir o direito de uma vida e de um futuro com amor e direção... Eu aprendo brincando..





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Palco ou plateia ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O amor é um sentimento interino ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Minha derradeira roupa ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A morte dos Três Patetas ( Crônicas e Poesias - Manoel Tupyara )

:: O homem na praça ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu, você, nós ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Desabrigo ( Crônicas e Poesias - Ana Fabyely Kams )

:: Fábrica de pirulitos ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Sal ou mel ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O viajante solitário ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Labirinto da felicidade ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Folhas sem escolhas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: A morte do prisioneiro ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Ensurdecedor grito do silêncio... ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A obra poética ( Crônicas e Poesias - Luisa Lessa )

:: Finalidade de vida ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Adeus maledeta ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Com todo o meu amor ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Borras de café ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Mãe, não me espere para jantar ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo