-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Jorge Azevedo

[ Jorge Azevedo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Paisagista, Decorador, Professor e Poeta

 

O que representa quando digo

Eu te amo,
não te ama com amor de carne,
de corpo presente em abraços,
o amor que por ti te amo...

O amor que em mim te ama,
é um amor que vem de dentro,
quer conversar, dividir problemas,
quer ser solução para dúvidas,
um amor de sentar no sofá
e perguntar porque estás triste.

Eu te amo
e não te amo por ser mulher, ou homem,
te amo mesmo sem ser meu irmão, ou irmã...

O amor que em mim te ama,
é uma amor de solidariedade,
de estar junto quando houver lágrimas,
ser alegria quando sentir tristeza,
sentar em um barzinho para dividir contas,
se não tivermos dinheiro, dividir o sorvete
e sair abraçados rindo da carteira vazia.

Eu te amo,
quero te dizer muitas vezes sem olhar os lados
procurando ouvidos escondidos para fofocar...

Quero declarar o amor que em mim te ama,
sem importar tua religião, ou opção política,
não quero saber o número do teu manequim
e nem, se para os conceitos, é feio ou bonita,
não te quero amar como amante de cama...

O amor que em mim te ama
e deseja sentir te amando,
é um amor que vem dos astros,
que chega iluminado por eternidades vividas.

Eu te amo,
com um amor que habita meu pensamento,
está presente em minhas orações,
se encontra na xícara de café que divido,
na camisa que tiro do corpo e te visto,
no afago que afago a criança suja na rua,
na mulher que dormindo ao relento, eu cubro
com uma das mantas que guardo sem uso...

Amo a ti com a transparência do meu amor,
mesmo que tu não tenhas palavras bonitas para mim,
e não saiba idiomas para enfeitar tua fala.

Eu te amo,
porque tu és filho de Deus e meu irmão,
viestes do pó de onde eu vim
e para onde teremos que retornar um dia...

Por isso eu te amo com o amor que há em mim,
e quando me veres passar onde estiveres,
vem e tomas as minhas mãos,
se precisares de um abraço, abraça-me
se precisar de alguém que te ouça, senta-me,
mesmo que não haja cadeira, no mesmo chão
onde fazes de morada e dormes nas madrugadas.

Quando eu digo "te amo",
não te amo o semblante perfumado de cheiros,
nem as etiquetas de roupas que tu não vestes,
não olho se tuas sandálias estão quebradas,
nem se tua bolsa é um saco de mercado,
não quero saber se tu tens na boca dente de ouro
ou um caco de dente lhe provoca dores intensas...

Quero dizer "te amo", ao vizinho que não me conhece,
ao menino de rua que não frequenta escola,
ao homem com a carrocinha cheia de trapos,
ao porteiro que me saúda sempre sorrindo,
e dizendo a todos sempre "eu te amo" saberão
que dizer te amo é muito mais que simples falar...

Eu te amo.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Saudade de quem amo ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A ultima pedra ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Saudade dos olhares ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Uma das minhas namoradas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Aposentando a aposentadoria ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Você, o amor de minha vida ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A energia do chão ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Palco ou plateia ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O amor é um sentimento interino ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Minha derradeira roupa ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A morte dos Três Patetas ( Crônicas e Poesias - Manoel Tupyara )

:: O homem na praça ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu, você, nós ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Desabrigo ( Crônicas e Poesias - Ana Fabyely Kams )

:: Fábrica de pirulitos ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Sal ou mel ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O viajante solitário ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Labirinto da felicidade ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Folhas sem escolhas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: A morte do prisioneiro ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo