-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Jorge Azevedo

[ Jorge Azevedo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Paisagista, Decorador, Professor e Poeta

 

A lágrima e poça dágua

Havia uma poça dágua
entre a casa e o jardim,
na varanda estava ela
como se esperasse por mim.

Eu com meu sapato novo,
a calça branca de linho,
nas mãos um poema escrito
numa folha de pergaminho.

Ela sentada na velha cadeira,
na dança de sempre embalada,
a manta de tecido estampado
com lindas flores bordadas.

O sorriso angélico e inocente
sorria para minha indecisão,
entre mim e ela havia a poça
e quase não havia pedaço de chão.

Ao sair de casa bem eu me lembro,
pra cuidar dos sapatos, o aviso,
novos eram, usaria na quermesse,
foi o que deixou-me apreensivo.

Com muito cuidado e carinho eu vi,
minha avó de sua cadeira levantar,
caminhar suavemente sobre a poça
e veio vindo para me carregar.

Seus pezinhos tão sujos ficaram
e ela sorria como uma criança,
ah, em dias assim de chuva e frio
ponho vovó viva em minha lembrança.

Agora eu sentado numa cadeira
olhando lá fora a chuva caindo,
traz-me a lembrança a poça dágua, 
uma lágrima vem para me ver sorrindo.






Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: O rótulo da garrafa de vinho ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Não me provoquem depressão ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu quero ser adotado, por favor, me adote... ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu pensando em você ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Quando a tarde parece que dorme ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Canto a um momento de melancolia ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O nascer do amor ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Tentações ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Lágrimas e lágrimas ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Violência contra a mulher não é somente o murro que transfigura ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O valor de um ponto ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Xis da questão ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Saudade de quem amo ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A ultima pedra ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Já vi anjos ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Palavras de um Anjo ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Saudade dos olhares ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Uma das minhas namoradas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Aposentando a aposentadoria ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Você, o amor de minha vida ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo