-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Jorge Azevedo

[ Jorge Azevedo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Paisagista, Decorador, Professor e Poeta

 

Aposentando a aposentadoria

Agora tem tempo, mais tempo para viver a vida construída para esse momento. A aposentadoria chegou, finalmente, após tantos anos de luta, de alegrias e tristezas; de ganhos e perdas. Quantos sapos teve que engolir durante tantos anos... A aposentadoria finalmente chegou.

Em uma das minhas palestras falo sobre a aposentadoria e tem um tópico que versa sobre "O meu primeiro dia na nova vida". Falo de muitos que se prepararam para esse momento e muitos que ficarão perdidos, afinal "o que farei amanhã pela manhã quando acordar sem ter o que fazer?".

Liberdade e prisão podem significar a publicação de uma aposentadoria.

"Agora terei mais tempo para ver o que ocorre dentro de minha casa"... Um conhecido meu divorciou-se após a aposentadoria. Descobriu que sua mulher saía todas as tardes para namorar. Desacostumada ela, com ele em casa, saía, chegava, fazia a janta, tomava banho e esperava-o para jantar. Agora ela não esperava-o para jantar porque ele estava em casa esperando que ela chegasse.

Um dia, cismado com a rotina da mulher, seguiu-a e viu o que não devia ter visto. Ela tinha um namorado... Há quanto tempo ela tinha esse namorado? Há quanto tempo ela fazia a janta para ele depois de ter namorado? Decepcionado voltou para casa, arrumou algumas roupas em uma das malas que encontrou e foi para a casa da filha. Fazia muito tempo sua filha o convidava para passar uns dias no interior, na casa da granja. Ele sempre ia nos finais de semana. Ia sábado pela manhã e voltava domingo no final da tarde. Alguns finais de semana a mulher não ia, tinha algum compromisso... Seria com o namorado? Não, ele não queria acreditar que, as vezes que ela não ia, não ia para ficar com o namorado.

A aposentadoria é uma atitude que precisa ser analisada, administrada, tratada com responsabilidade. Com a aposentadoria há perdas financeiras que precisam sem contabilizadas. As despesas aumentam. O pior da aposentadoria é acordar e se perguntar “o que farei hoje?”. Ruim da aposentadoria é quando o aposentado começa a ser explorado pelos filhos, quando ele passa a ser “jaqui”. Não há nada pior do que, depois de tanto tempo, de tanta luta, de tantas subidas que teve que subir com fardos nas costas, ser promovido ou rebaixado a “jaqui” e la vão as explorações e os exploradores “já que não trabalha amanhã pague estas contas para mim”, ou “já que está descansado(a) fica com seus netos esse final de semana para a gente viajar”, “já que não usa mais o carro todos os dias, deixa ele comigo enquanto conserto o meu&148;... E de pai, e de mãe, passa a ser o aposentado “jaqui”.

Tem o seu lado positivo. Aquelas viagens tantas vezes adiadas agora podem ser realidade. Caminhar todos os dias, visitar parentes e amigos que moram mais distantes. Dormir mais tarde, acordar quando quiser, se programar para cursinhos, desenvolver atividades transferidas por falta de tempo. Quem sabe ser um empreendedor? A aposentadoria não pode ser um certificado de velhice, mas, uma autenticação de competência. Competência para viver a nova vida,a nova liberdade, o novo tempo. Com as novas possibilidades vasto campo se abre e o aposentado deixou de ser alguém incapaz para viver a aposentadoria. Agora, aposentadoria significa inicio de nova vida. Viva a sua aposentadoria com a sabedoria de um aposentado. A juventude hoje precisa mais da sabedoria do aposentado que o aposentado precisa da energia da juventude.

Ah! E já que a aposentadoria profissional não aposenta o espírito, vamos aposentar a aposentadoria e viver.






Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Violência contra a mulher não é somente o murro que transfigura ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O valor de um ponto ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Xis da questão ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Saudade de quem amo ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A ultima pedra ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Já vi anjos ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Palavras de um Anjo ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Saudade dos olhares ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Uma das minhas namoradas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Aposentando a aposentadoria ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Você, o amor de minha vida ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A energia do chão ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Palco ou plateia ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O amor é um sentimento interino ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Minha derradeira roupa ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A morte dos Três Patetas ( Crônicas e Poesias - Manoel Tupyara )

:: O homem na praça ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu, você, nós ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Desabrigo ( Crônicas e Poesias - Ana Fabyely Kams )

:: Fábrica de pirulitos ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo