-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Jorge Azevedo

[ Jorge Azevedo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Paisagista, Decorador, Professor e Poeta

 

Desmoralização do Brasil

O crime organizado faz pouco caso do Ministério da Segurança, montado para cuidar do Rio de Janeiro com a desculpa esfarrapada de que estava sendo montado para cuidar da segurança no Brasil e o que estamos vendo? O crime organizado mostrando que está mais organizado que as forças constituídas. Mostrando que não está nem aí para os tanques de guerra do Exército nas subidas dos morros cariocas, não está nem aí para os fuzis nas mãos de soldados vestidos com roupas de combate. Os tiroteios permanecem como antigamente, os assaltos continuam como antigamente, as explosões de agências bancárias continuam como antigamente... Onde está o mal formado Ministério da Segurança? Está fazendo o quê? Está preocupado em desvendar o assassinato da vereadora do Rio de Janeiro, não está preocupado em desvendar, pelo menos a morte de um dos 61 policiais assassinados esse ano, somente no Rio de Janeiro, onde se instalou o Ministério da Segurança e a equipe do General.

As Forças Armadas estão pondo a sua biografia em cheque, por causa da incompetência de um presidente incompetente. As Forças Armadas não têm capacidade de policiamento urbano, para combater o crime dentro da sociedade onde as Forças Armadas é parte. Ela está capacitada para ser combatente contra inimigos externos, os quais podem atirar e matar sem os entraves da lei e da Constituição. Quando a ideia foi posta em prática, eu disse que um fiasco estava sendo montado no Rio de Janeiro. Quantos tiros os soldados do Exército já trocaram com a marginalidade do Rio de Janeiro? A Constituição proíbe que eles atirem contra brasileiros em tempo de paz. A Constituição não proíbe que os marginais do Rio de Janeiro atirem contra os policiais. O que estamos vendo é um descalabro, o que estamos presenciando é um grupo de gigantes com seus cães de caça correndo contra coelhos sem toca.

Está aí, o Rio de Janeiro, razão da montagem do Ministério da Segurança. Está aí, o Rio de Janeiro, estado onde se fez uma intervenção federal, intervenção militar com o intuito de combater o crime. Está aí, o Rio de Janeiro, continuando dominado pelo crime organizado. As milícias zombando dos soldados da pátria, os milicianos rindo e gargalhando das ordens dos generais.. Está aí, o Rio de Janeiro, exportando tecnologia do crime organizado para os demais estados da federação.

O Brasil está humilhado pelo crime. O crime está se sobrepondo sobre a História do Brasil. Também, como não ser assim, quando os políticos desta nação criticam abertamente os trâmites da justiça, desrespeitam a figura de um juiz, que posa de cavaleiro solitário, para combater criminosos poderosos, fantasiados de ternos, gravatas e togas? Como exigir respeito, uma nação, onde o seu presidente está encalacrado por trocentos processos, um ex presidente está preso, condenado, os presidentes do Congresso Nacional estão indiciados? Um ou outro político, desse imenso Brasil não está indiciado em algum crime. O Brasil está vestido por uma capa de vergonhas e despudores. Está humilhado, está arrasado, está envergonhado.

O Ministério da Segurança desapareceu, ninguém ouve mais falar dele. O carnaval feito no seu lançamento está se transformando em dia de finados. Luto e silêncio. De Norte a Sul, ônibus são incendiados, policiais municipais, estaduais e federais são assassinados, tudo nas barbas do inexistente Ministério da Segurança. O que se pensou, quando o interventor do Rio de Janeiro assumiu seu posto, era que os criminosos tremeriam na base, aconteceu o contrário, os criminosos aumentaram suas ações e o Exército tremeu. As Forças Armadas camufladas pelos artigos constitucionais que lhe proíbem agir como polícia, se apegam a essa desculpa e não se expõem...

Qual a diferença da segurança no Brasil antes e depois da criação do Ministério da Segurança? Qual a diferença de segurança civil no Rio de Janeiro, antes e depois, da intervenção federal, ou militar, como queiram os legisladores? A corporação policial está algemada, a sociedade civil está trancafiada em suas casas e apartamentos, com varandas, portas e janelas gradeadas. Afinal, senhores donos das verdades, quem é bandido hoje no Brasil? Os honestos que se trancam dentro de suas grades ou os bandidos que andam livres pelas ruas das cidades expondo suas armas de ultima geração?

Enquanto gritarem para um preso condenado por roubo, por corrupção se candidatar ao posto de presidente desta republica, humilhada inclusive pelos atos e atitudes de quem está preso e condenado, o Brasil continuará sendo humilhado pelos bandidos. Enquanto bandidos bradarem que estão sofrendo golpe e a justiça não mostra voz ativa, a república continuará humilhada. Enquanto exercer seu direito constitucional de ir e vir quem achacou empresas pedindo dinheiro, sem nenhuma punição, a republica continuará sendo humilhada, como continuará sendo humilhada a pátria enquanto o brasileiro manter nos mesmo cargos ocupados, amanhã, quem está ocupando esses cargos, hoje.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Quê?! ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Desmoralização do Brasil ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Pena, piedade, comiseração ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Um pequeno príncipe sonhador ( Crônicas e Poesias - Fabiana Barros )

:: Tanto lá como cá ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Quero ser alguém na vida ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Tecido Social ( Crônicas e Poesias - Fabiana Barros )

:: Para onde vão as flores mortas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Frutas podres na feira ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Decadências ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Forte, fortaleza ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Vida é algo que ainda nem sei. ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Crisálida ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Borboletas e poesia ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Bonecas de carne ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: A minha arte de lidar com o mundo ( Crônicas e Poesias - Fabiana Barros )

:: Eu, um privilegiado ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O rótulo da garrafa de vinho ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Não me provoquem depressão ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu quero ser adotado, por favor, me adote... ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo