-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Esportes
 
Jorge Azevedo

[ Jorge Azevedo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Paisagista, Decorador, Professor e Poeta

 

Porque o hexa não veio

Desafios não se vencem sem incluir na mente, meios e métodos para se tornando forte, vencer seus oponentes.

A disputa de uma Copa do Mundo e sua consequente vitória é um desafio onde estão presentes os atuais, e melhores, desafiadores do mundo, uns com mais capacidade, outros com menos capacidade, no conjunto do embate, são forças equivalentes buscando um bem comum... A conquista da vitória.

Em nenhuma profissão se chega ao sucesso somente com os cátedras da profissão. Numa grande empresa de engenharia ela não se tornaria grande se não tivesse os serventes de obras; um grande cirurgião não se tornaria grande sem os auxiliares de enfermagem; uma senhora dama socialite não seria madame se não tivesse quem lavasse o seu banheiro.

Faltou na seleção brasileira a parte humilde do conjunto, faltaram servidores para os mega jogadores. Numa constelação de estrelas, se não houver quem ocupe os espaços entre elas, a gravidade delas se rompem e elas se perdem no infinito das galáxias. Até as estrelas precisam serem servidas para permanecerem dentro das constelações.

No campo da batalha haviam 32 desafiadores para alcançar um bem comum, aqueles que se consideraram maiores do que eram sucumbiram, pois, derramaram, como se estivessem na mesa de um cassino, todas suas fichas no número vinte e sete da roleta. Esqueceram do número doze e o número doze estava chegando em silêncio e foi derrubando um por um dos desafiadores. E foi caindo como penas de ave enfiadas numa bola de neve no alto da montanha diante do vendaval. E foram caindo os grandes, os coroados, os que foram para o campo de batalha com a certeza de que já estavam ganhadores, a taça já estava em suas mãos, afinal, eram eles os maiores salários do planeta, possuem os carros mais caros, e as lanchas, e os aviões, e as mulheres mais espetaculares.

Desafios são vencidos por quem se prepara para vencer desafios, ainda mais na terra dos maiores enxadristas, onde precisam desenvolver estratégias para saírem vencedores em seus embates.

O hexa não veio dessa vez porque a seleção brasileira estava repleta de estrelas. O hexa não veio porque eles não foram buscar o hexa, foram para exibição, para demonstrações divinas, esquecendo que do outro lado haviam operários buscando seus pratos com arroz, feijão e ovo frito.

Eles eram estrelas e ali estavam para se exibirem, patrocinarem lances maravilhosos, jogadas sensacionais, dribles desconcertantes...

Ora, as estrelas da seleção se consideravam os maiores astros do universo futebolístico presentes na Copa da Russia. E se deixaram embevecer pelos elogios estratégicos dos adversários, que, inteligentemente, declaravam-lhes os verdadeiros favoritos, os melhores, os quase imbatíveis. Somente as estrelas de Tite, somente Tite não percebeu que tudo não passava de uma estratégia dos adversários para minar as reservas de cuidados das estrelas da seleção brasileira. E o hexa não veio e não virá tão cedo enquanto os serventes não comporem os quadros da construtora. E não virá enquanto os auxiliares de enfermagem não estiverem servindo os grandes cirurgiões. E não virá definitivamente enquanto a madame não considerar quem lava suas calcinhas, peça importante em sua mansão.

Faltou sim, humildade na seleção brasileira, desde a convocação, desde a escalação pela Rede Globo, de Ronaldo Fenômeno e Casagrande como comentaristas de futebol somente porque eles foram jogadores de futebol. É o mesmo que colocar um cirurgião enxugando o suor da testa de outro cirurgião; é o mesmo que colocar um engenheiro na obra servindo massa para o pedreiro. Faltou humildade nas estrelas e sem humildade esqueceram que desafios se vencem com planejamentos, com projetos e nenhum projeto faz-se acontecer da noite para o dia. Precisa de base e a base de todas as seleções que permanecem vivas disputando o desafio começou nos quintais de suas casas, sem desprezar quem vai no galinheiro e pega o ovo para o café da manhã.

Se somente havia estrelas na seleção quem faria os trabalhos dos asteroides, cometas e meteoros? Quantos jogadores da seleção da Bélgica jogam na Bélgica e quantos jogadores da seleção brasileira jogam no Brasil? Na seleção da Bélgica, quantos deles são titulares e quantos são, os jogadores do Brasil jogando no Brasil titulares na seleção de Tite?

Desde a primeira partida da Copa da Russia tenho aformado que a seleção brasileira não tinha capacidade para enfrentar seleções de verdade. Enquanto sobravam estrelas no céu iluminado de Neymar, faltaram meteoritos para criar traços luminosos no céu verde da Rússia e isso todos viram...

Faltou humildade para o hexa chegar e enquanto a próxima copa não chega, tem tempo, o Brasil, de mudar o raciocínio da cúpula da CBF, e não esquecer que não são somente as estrelas que fazem a beleza do céu no universo.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Porque o hexa não veio ( Esportes - Jorge Azevedo )

:: Esse não é o Bahia que a torcida deseja ( Esportes - Jorge Azevedo )

:: Quando ganhar é não perder ( Esportes - Jorge Azevedo )

:: Os números dão moral ao time do Bahia ( Esportes - Ruy Matos )

:: Alegria dos tricolores e tristeza dos rubro-negros baianos ( Esportes - Ruy Matos )

:: Sinal vermelho na Toca do Leão ( Esportes - Ruy Matos )

:: Sinal amarelo para os times baianos ! ( Esportes - Ruy Matos )

:: O valor de uma medalha olímpica ( Esportes - Jorge Azevedo )

:: Um divisor de águas ( Esportes - Ruy Matos )

:: Salve a República Federativa da canalhice ! ( Esportes - Ruy Matos )

:: Lionel Messi é pentacampeão na BOLA DE OURO ( Esportes - Ruy Matos )

:: Cautela e caldo de galinha são importantes ( Esportes - Ruy Matos )

:: Cautela e caldo de galinha são importantes ( Esportes - Ruy Matos )

:: Nem sempre as torcidas levam equipes às vitórias ( Esportes - Ruy Matos )

:: A torcida esperava muito mais do Bahia ( Esportes - Ruy Matos )

:: Uma rodada boa para o Esporte Clube Bahia ( Esportes - Ruy Matos )

:: O Bahia merece ser criticado ( Esportes - Ruy Matos )

:: Um jogo sem nenhuma importância ( Esportes - Ruy Matos )

:: Bahia e Vitória: dois momentos diferentes ( Esportes - Ruy Matos )

:: O Felipe Scolari estava certo ( Esportes - Manoel Tupyara )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo