-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Atualidades
 
Elisabeth Camilo

[ Elisabeth Camilo ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Tradutora, jornalista e mestra em Letras - Linguagem e Memória Cultural.

 

Quem com ferro fere

 Foi-me ensinado desde a mais tenra infância que há coisas que nunca devemos fazer para que evitemos que soframos, definitivamente, amargas consequências... Um desses preceitos da infância eu jamais esqueci: pedra jogada, palavra dita e tempo perdido jamais retornam a nós. Mas há efeitos bumerangues que, na viagem de volta, podem promover grandes danos a quem usava o artefato: pagamos sempre por nossos atos impensados.

Nos velhos tempos de chumbo, quando a nós era oferecida a disciplina escolar “Organização Social e Política Brasileira – OSPB”, aprendemos que devíamos usar nomes das autoridades máximas das três esferas governamentais com alguns cuidados, para evitarmos os efeitos bumerangues.  Nunca calunie ou crie infâmias contra o governante de seu país. Você pode até criticá-lo e deve fazer isso.  Mas se você o chame de ladrão, de bandido, de estuprador, de canalha, etc., pode ocorrer no futuro você seja identificado e precise provar o que escreveu, o que disse, o que disseminou.  

Imaginemos que, dentro do quadro atual, uma pessoa chame um dos candidatos a presidente da República ou a governador de seu Estado de coisas abomináveis.  Amanhã, você faz um concurso público e será diretamente subordinado a essa pessoa.  Pensemos também que vivemos um momento onde nada fica escondido porque é possível rastrear dados, até os que pensamos que tinham sido apagados na grande rede.  Seu chefe vai descobrir que ele era o "Haddad ladrão e corrupto” ou o “Bolsobosta ou bolsomerda torturador”.  Na análise do seu currículo e de suas postagens nas redes sociais, o efeito bumerangue pode ocorrer e você perderá o grande emprego de sua vida devido a um momento de raiva, de estupor ou de mágoa.  Vale a pena pensar nisso -  será impossível retirar de cena as palavras ditas ou escritas, mas o efeito bumerangue será fatal.

Conheço uma pessoa que foi participar de uma entrevista para se tornar um CEO de uma empresa em Santa Catarina.  Passou com mérito em todas as fases. Quando na análise de suas postagens no facebook, havia muitas cujo teor expressa ódio pelas segundas-feiras   e duas que expressam “ não gostar do chefe”.   Perdeu a chance da vida em emprego magnífico.

É isso aí.   Respeito não custa nada e ainda é semente para bons relacionamentos.  Não jogue pedras no telhado alheio.  Não destile palavras de ódio, de rancor, de ira.  Não calunie.  Não brinque negativamente com as palavras.  Não perca seu precioso tempo com bagatelas negativas.   Amanhã, aquele que você prejudicou pode vir a prejudicar você.  Vinganças ocorrem em todos os ciclos da vida, mesmo que o vingador não seja quem você ofendeu...  





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Quem com ferro fere ( Atualidades - Elisabeth Camilo )

:: Massacre na Flórida ( Atualidades - Jorge Hessen )

:: Penso, logo tenho opinião ( Atualidades - Fabiana Barros )

:: Malmequer, bem-me-quer, malmequer: a vitória da corrupção no paraíso chamado Brasil ( Atualidades - Elisabeth Camilo )

:: Onde está esta de Greve Geral? ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: Nosso pobre Brasil - caso 1 ( Atualidades - Elisabeth Camilo )

:: Tudo pode acabar amanhã ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: A internet induz a erros ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: Geração sem-sem ( Atualidades - Tom Coelho )

:: A internet induz a erros ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: Mudança de atitudes ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: O aborto pode ser um ato de amor ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: Do osso à patente. ( Atualidades - José Flôr )

:: O anel e a memória ( Atualidades - Elisabeth Camilo )

:: Preso é ser humano e o ser humano é mutável ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: Guerra nuclear seria possível? ( Atualidades - Jorge Hessen )

:: Lindo Rio de Janeiro ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: Papel da Internet na vida das pessoas ( Atualidades - Luisa Lessa )

:: Quando prioridade deixa de ser ( Atualidades - Jorge Azevedo )

:: O Brasil de ontem e o Brasil de hoje ( Atualidades - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo