-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em História e Literatura
 
Cléryston Medeiros

[ Cléryston Medeiros ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Historiador, Guia de Turismo Regional e Pós-graduando em Geopolítica e História. Tem experiência na área de turismo, com ênfase em Turismo Cultural e de Aventura.

 

O que é Pan-americanismo?

Os precursores dos ideais pan-americanos remontam ao século XVIII, mas estes não tinham grande expressividade. De fato, a idéia de estabelecimento de uma união entre as sociedades americanas só veio a ganhar maior expressão durante a luta pela independência das colônias americanas. O pan-americanismo deve ser entendido como um grande movimento de solidariedade a nível continental com objetivo primeiros de promover a paz no continente americano, preservar a independência dos Estados e estimular seu inter-relacionamento.

Este “projeto de solidariedade continental” foi desenvolvido de duas formas distintas. Em primeiro lugar o bolivarismo e em segundo o monroísmo. O Bolivarismo provém da visão concebida por Simon Bolívar. Este líder da luta pela libertação de diversas colônias que viriam a se tornar Estados americanos acreditava que existia uma necessidade de união continental com objetivo de lutar contra uma possível contra-ofensiva espanhola, para tanto, os Estados americanos deveriam se unir em um grande bloco continental, o que, de certa forma, ainda é um grande desejo de certos políticos sul-americanos, que o diga o excelentíssimo presidente Hugo Chávez. Em 1819 Bolívar criou a Grã-Colômbia, que só durou até 1830, fragmentando-se nos Estados da Venezuela, Equador e Colômbia. Por diversas vezes Bolívar tentou unir os Estados americanos, foi o que ocorreu em 1824, quando ele convidou os governos da América a reunirem-se com o objetivo de organizar uma confederação, o que só veio a ocorrer em 1826, no Congresso do Panamá, considerado a primeira manifestação do pan-americanismo. O congresso acabou mostrando-se um fracasso, por diversos motivos. Apesar disto, os ideais pan-americanos bolivaristas não cessaram, e novos congressos foram reunidos. Esses ideais deram bases ao sentimento de solidariedade continental.

A segunda expressão do pan-americanismo, o monroísmo, representa a visão norte-americana do mesmo, fundamentando-se no predomínio dos Estados Unidos sobre os demais Estados americanos, o que diverge em muito do bolivarismo, que pregava a igualdade entre as nações. Baseado na Mensagem Presidencial de James Monroe, enviada ao congresso dos EUA em 1823, o monroísmo negava aos Estados europeus o direito de intervenção no continente americano. Mas devemos ver este movimento como um reflexo da preocupação norte-americana com sua própria segurança, e não com a dos demais Estados americanos. Outro motivo seria o próprio projeto de expansionismo dos EUA e a intenção de garantir o livre comércio com os países recém independentes. Ou seja, o monroísmo na verdade nada mais é que uma expressão da política nacional norte-americana como forma de defesa de seus próprios interesses.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Soldado Medeiros. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: O Rococó. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A arte barroca. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Remanso da vida ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Ter bons amigos é ter mais saúde e felicidade ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Um olhar sobre o ensino de português ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: O português é uma realidade monolítica no Brasil? ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: História Cultural: o Rock n’ Roll brasileiro da década de 1980. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Década de 1970 – O contexto musical do Brasil: o Estrangeirismo. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: O que é a verdade? ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: Epiteto: Filósofo e escravo. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Apreciação literária: Paz Guerreira de Talal Husseini. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Ariano e sua eterna luta contra moinhos que não são de ventos. ( História e Literatura - José Flôr )

:: História das mentalidades: O Esperanto. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Coração da Mata ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: O redescobrimento do Heliocentrismo e da esfericidade da Terra. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Considerações literárias: diários, semanários e mensários...qual é a melhor escolha? ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: Quinze de novembro de 1889 – O golpe da República e a interrupção do processo civilizatório. ( História e Literatura - Roberto Bastos )

:: A arte de viver só ( História e Literatura - Luisa Lessa )

:: A desesperança em Wander Piroli ( História e Literatura - Lecy Pereira )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo