-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Almir Moreira

[ Almir Moreira ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Politicamente Correto, eis a questão.

 

O que consta na felicidade

Entre os muros escondidos pelas acácias, onde o céu se torna tão claro, tão perto de nosso espírito, onde a fonte de nossa felcicidade brota no orgânico mundo desconhecido, muitas vezes esquecemos de procurá-lo, ficando aliviados com pouca graça de espírito, e vivendo como uma metáfora amarga da vida. Entre os poemas, entre as prosas.. entre as rimas quase infindas não se pode dizer a graça do lugar escondido, o lugar que se esconde de nossos olhos, um lugar para poucos. E um dia, irei rimar meus versos cheios de desejos, um dia rimarei aos teus ouvidos minha vontade de dizer que você será minha; a rima que dança com os orvalhos das árvores, que rima com os pássaros brancos, que rima com teus olhos castanhos. A pura chance do amor nos faz criança, nos faz acreditar fielmente no amor, que o amor existe e ele nos faz viver.

entre as amarguras da vida, minha dinstinta função de te amar foi e sempre será a longa jornada de meus sonhos reais 

Entre a pele, entre os dedos, entre boca a boca, só assim eu posso realizar meus sonhos, e deixar de acordar e ver que tudo não se passava de um momento ilusionário, não, o meu amor não é ilusão; ele é a fonte para todas as tuas respostas, a fonte para tua felicidade.

Agora, venho cá de saudade. não te vjeo a dias, não te busco a dias. Falta-me coragem/ousadia. Traga-me um pouco de paz, traga-me você nos meus dias.





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: A ultima pedra ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Uma das minhas namoradas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Aposentando a aposentadoria ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Você, o amor de minha vida ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A energia do chão ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Palco ou plateia ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O amor é um sentimento interino ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Minha derradeira roupa ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A morte dos Três Patetas ( Crônicas e Poesias - Manoel Tupyara )

:: O homem na praça ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu, você, nós ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Desabrigo ( Crônicas e Poesias - Ana Fabyely Kams )

:: Fábrica de pirulitos ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Sal ou mel ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O viajante solitário ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Labirinto da felicidade ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Folhas sem escolhas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: A morte do prisioneiro ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Ensurdecedor grito do silêncio... ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: A obra poética ( Crônicas e Poesias - Luisa Lessa )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo