-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Crônicas e Poesias
 
Almir Moreira

[ Almir Moreira ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Politicamente Correto, eis a questão.

 

A não ser que:

A não ser que eu mude de ideia, de expectativa os dias passam tão ligeiros e ao mesmo tempo insuficientes para lavar minh´alma. O café na mesa, o jornal do dia, as conversas chatas e retardatárias do messenger já não me aliviam mais. O amor meio que platônico, tomou por alguns dias as possíveis características de alguém que já desgostava da vida, que pena, pra tudo  tem um fim o desgosto voltou, a rotina de sempre é a mesma. 

- O cheiro do café as 6 horas da manhã.

- A conexão para internet a 1 da tarde.

- O sono às 3 da manhã.

Os dias se tornam tão ásperos quando o tempo cronológico da vida é sempre o mesmo, onde todas suas atitudes estão ocorrendo sempre no mesmo horario, e na mesma ordem, a não ser que um dia, você escreva e mude a história, escrever loucamente um sonho idealizado, mesmo aqueles que mal conseguimos no dia seguinte lembrar fatos ou consequências.

Agora, mudei meu cotidiano, a não ser que: - amanhã faça o mesmo. 





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Quê?! ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Desmoralização do Brasil ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Pena, piedade, comiseração ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Um pequeno príncipe sonhador ( Crônicas e Poesias - Fabiana Barros )

:: Tanto lá como cá ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Quero ser alguém na vida ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Tecido Social ( Crônicas e Poesias - Fabiana Barros )

:: Para onde vão as flores mortas ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Frutas podres na feira ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Decadências ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Forte, fortaleza ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Vida é algo que ainda nem sei. ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Crisálida ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Borboletas e poesia ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: Bonecas de carne ( Crônicas e Poesias - Osvaldo Heinze )

:: A minha arte de lidar com o mundo ( Crônicas e Poesias - Fabiana Barros )

:: Eu, um privilegiado ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: O rótulo da garrafa de vinho ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Não me provoquem depressão ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )

:: Eu quero ser adotado, por favor, me adote... ( Crônicas e Poesias - Jorge Azevedo )
 
 
LiveZilla Live Chat Software

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo