-- Animais & Cia
-- Atualidades
-- Cidades
-- Ciências e Tecnologia
-- Coluna Social
-- Crônicas e Poesias
-- Educacao
-- Empresarial
-- Entretenimento
-- Esportes
-- História e Literatura
-- Humor
-- Informática
-- Internacional
-- Jovens
-- Justiça & Direito
-- Meio Ambiente
-- Pais e Filhos
-- Política
-- Religião Cristã
-- Religião Outras
-- Sexo
-- Terceira Idade
-- Turismo
-- Vida e Saúde
-- X Diversos
.

 
 

Você está em Pais e Filhos
 
Gilson Pontes

[ Gilson Pontes ]   Veja o Perfil Completo deste Colunista
Professor de Português formado em Filosofia, História e Letras. É artista plástico.

 

Criar filhos não é brincadeira!

Como está difícil criar filho nesse mundo tão de ponta cabeça. Qual a forma melhor de se educar um filho? Essa pode se dizer uma questão muito batida, velha, mais velha que as considerações pedagógicas primeiras dos filósofos gregos.

Digo que surgiu quando a humanidade ainda era primitiva.

Chama-me a atenção o menino Brás Cubas – um personagem de Machado de Assis – de quem se faziam todas as vontades, bem poderia estar incluso entre os rebentos que tanto assustam os pais modernos, o que mostra que no transcorrer dos anos, pós Segunda Guerra, pós anos sessenta, setenta, oitenta, não é tão moderna assim.

Por outro ângulo, o jovem Graciliano (Ramos), parece, tinha apenas o direito de apanhar calado, denotando que a chamada educação rígida e tradicional existe em todas as épocas.

Pergunto, quando do homem adulto se deve à educação do menino e quanto se deve às tendências naturais do indivíduo?

Gostaria de saber... Quando é possível tentar-se como, pois moldar o comportamento daquele, o filho ou já está delineado nos genes? Não será capaz o homem de modificar sua maneira de ser enquanto amadurece? Ou seja, o menino será mesmo o pai do homem ou mesmo um irmão mais velho? Eis aí muitas perguntas, mas até tolha o desenvolvimento individual, nem por demais a liberdade que não inculque os limites do social. Penso que na teoria parece simples, mas na prática é outra. Como explicar para os pequenos como a vida é realmente? Como aplicar Piaget aos pequenos favelados? Como explicar pra eles a fome e a desesperança? Como explicar a tal violência, essa que vem de tudo quanto é lado? Acho que a vida não se resume ficar "plugado no computador", no "videogame", a ver coisas que só gera violência. Acho que é preciso construir uma forma de desenvolver e sempre constantemente a capacidade de pensar que toda criança tem. É claro, de pensar, analisar e questionar e compreender ou render-se ou como diria Vinícius de Moraes: Filhos... Filhos? Melhor não tê-los! Mas se não os temos como sabê-los? ...Porém que coisa/Que coisa louca/Que coisa linda/Que os filhos são! Digo: criar filhos não é brincadeira, ou não ter filhos, como fez o velho Brás Cubas, que não legou a ninguém a miséria de sua existência. Digo mais... Nunca faça, em presença de uma criança, adolescente, nada que não deseje que ela imite. O ambiente é, muitas vezes, uma influência mais poderosa na orientação da vida de uma pessoa e na determinação de seu desenvolvimento do que qualquer aconselhamento ou palavra.

A paciência e a compreensão têm grande importância no crescimento da criança. Não perca a calma com seu filho. Ele não pode fazer aquilo que ainda não aprendeu. E digo mais... A criança aprende aquilo que ela vê. Ela é um ente sociável, um membro da família humana e devemos ensiná-la a viver com os seus semelhantes. A criança possui sentimentos que são tão importantes quanto os seus. Ela é sensível tanto ao treinamento emocional quanto ao intelectual. Precisa de bondade e paciência. (Gên. 50.21; Rom. 12.10. Ef. 4.32)





Você gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos:

 
Facebook
Twitter: Google+

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
s
s
------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O botão de comentário acima irá acionar o colunista para te postar uma resposta sobre o comentário. Ou, se preferir, comente usando seu perfil do Facebook:




:: Videogames: a consolidação do hedonismo. ( Pais e Filhos - Roberto Bastos )

:: E quando os filhos crescem o que a mãe faz ? ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: Quando a perda alheia nos modifica ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: Maldita Revolução Sexual – Parte 2 – O mal institucionalizado. ( Pais e Filhos - Roberto Bastos )

:: A diferença entre satisfação e felicidade ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: Casais sem filhos ou o momento históricos para tê-los. ( Pais e Filhos - Roberto Bastos )

:: O que dizer aos filhos quando eles atingirem a maturidade? ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: Conciliando o trabalho e a maternidade... ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: O consumismo na adolescência... ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: A juventude atual sabe lutar por espaço na vida? ( Pais e Filhos - Luisa Lessa )

:: Laços de ternura ( Pais e Filhos - Tom Coelho )

:: A etiqueta e nossos filhos ( Pais e Filhos - Roberto Bastos )

:: Aproveitando melhor o tempo ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: O preço do caráter ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: Pequenos Cidadãos? ( Pais e Filhos - Roberto Bastos )

:: O exemplo dos pais e os fabricantes de vagabundos. ( Pais e Filhos - Roberto Bastos )

:: Sofrimento de filho ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )

:: Pais ensinam filhos a desrespeitar leis e éticas ( Pais e Filhos - Jorge Azevedo )

:: Família e o uso da genealogia (as raízes das sequóias). ( Pais e Filhos - Roberto Bastos )

:: As influências recebidas no convívio diário ( Pais e Filhos - Carlo Dionei )
 
 

 


   



Site administrado pela

Biblioteca ||  Classificados
Sala de Bate Papo